Há poucos dias o Snapchat recebeu uma atualização que implementou uma nova funcionalidade, os Snap Map. Através de um mapa integrado na aplicação é possível saber, em tempo real, onde se encontram os contactos de cada utilizador (desde que tenham a aplicação aberta) ou onde é que existe uma grande quantidade de snaps a serem publicados, o que pode dar jeito para saber de algum evento de maiores dimensões ou algo semelhante.

O problema é que também permite saber exatamente onde se encontram os jovens a qualquer altura do dia desde que tenham a partilha da localização ativada. Isto pode levar a que as pessoas saibam onde é que alguém vive, onde estuda, o que está a fazer em cada local (se a pessoas assim o publicar) e torna-se, de certeza forma, um pouco invasivo no que toca à privacidade de cada utilizador.

 

No Reino Unido, a St Peter's Academy, em Staffordshire, enviou um aviso aos pais sobre o facto de a aplicação “permitir localizar exatamente onde estão os jovens, em que edifício e em que parte do pavilhão se encontram”.

Claro que a aplicação permite ao utilizador ter controlo sobre as pessoas com quem partilham a aplicação, mas são inúmeras as pessoas que adicionam desconhecidos à sua rede de “amigos” do Snapchat. Os pais mostraram-se preocupados e alguns consideraram este update perigoso.

Tito de Morais, fundador do site MiudosSegurosNa.Net, esclarece ao TEK que “esse risco existe, sobretudo se o utilizador - criança, jovem ou adulto - ativar a funcionalidade sem saber quais as implicações da mesma, o que já tem acontecido”. Por isso é importante conhecer esta funcionalidade, sublinhou. “Ao configurar o Snap Map pode escolher uma de três opções: ‘Ghost mode’, ‘Amigos’ ou ‘Amigos selecionados’”. A localização do utilizador só é partilhada enquanto a aplicação estiver a ser executada, mas é uma opção que pode ser desativada em qualquer momento.

Tito de Morais esclarece ainda que “as localizações no Snap Map têm uma duração máxima de oito horas”, mas isto não é igual a “quanto tempo o Snapchat guarda a informação relativa à localização dos seus utilizadores”, conclui.

Segundo alguns relatos da BBC, as preocupações devem-se à precisão fornecida pelo mapa sobre os locais mais comuns de cada pessoa, incluindo a própria casa. “Se fizerem zoom suficiente, este novo mapa do Snapchat consegue dizer literalmente onde é que a pessoa vive, a morada exata – um pouco assustador não?”, interrogou-se um dos utilizadores.

Em contrapartida a empresa responsável pela aplicação de partilha de imagens temporárias terá explicado que a precisão na localização era essencial para, por exemplo, os utilizadores se poderem encontrar num determinado restaurante ou num recinto com muitas pessoas.

A Snap. Inc explicou ainda que a opção de partilha da localização vem desativada por defeito e que é completamente opcional se o utilizador a quer, ou não, ativar. É possível o utilizador escolher com quem quer partilhar a localização e podem desligar a funcionalidade sempre que desejarem.

Esta não é, no entanto, a primeira aplicação utilizada por jovens que permite a partilha da localização, em tempo real, com determinadas pessoas. Tanto o Facebook, o Messenger e o WhatsApp têm funcionalidades que, de forma semelhante ao Snapchat, permitem aos utilizadores informarem os “amigos” da sua localização exata. “Pessoalmente, não considero que os Snap Map sejam uma funcionalidade mais perigosa que as demais”, conta ao TEK Tito de Morais, dizendo ainda que “o problema reside na forma de ativação da funcionalidade que pode levar utilizadores a ativá-la sem noção do que estão a fazer”.

Também não é possível que uma pessoa que não esteja na lista de amigos aceda à localização de determinada pessoa e, segundo a empresa, a maioria das interações na rede social são entre amigos chegados. No entanto, os pais devem ter um papel importante no que toca à segurança e privacidade dos filhos.

O fundador do site MiudosSegurosNa.Net concorda que os pais devem ter atenção a esta e qualquer funcionalidade semelhante das aplicações que os filhos utilizam diariamente, mas “infelizmente, suspeito que a generalidade dos pais desconhece como funciona o Snapchat, quanto mais esta nova funcionalidade”, diz o especialista, indicando que os pais devem fazer um esforço para “não só conhecer a aplicação como as suas funcionalidades ao nível da segurança e privacidade”.

O especialista em segurança na internet, em especial no que toca aos mais novos, conclui que “É importante lembrar que esta funcionalidade é opcional. Se um utilizador não quiser revelar a sua localização pode optar pelo ‘Ghost Mode’, não revelando a sua localização. Alternativamente, pode optar por revelar a sua identidade a amigos selecionados. A recomendação que deixo é que os utilizadores não partilhem a sua localização com pessoas que não conhecem pessoalmente ou que deliguem a funcionalidade colocando-a em ‘Ghost Mode’ nas Definições/Settings do Snapchat”.