A ideia com a Spritz é mostrar cada palavra individualmente, estagnada, destacando o chamado "ponto de reconhecimento ótico" (ORP, na sigla para a expressão em inglês).

Normalmente, movemos os nossos olhos acompanhando as palavras nas linhas de texto e, a cada palavra, buscamos "manualmente" o tal ORP, a letra da palavra que permite que o cérebro processe o seu significado. A teoria da empresa é de que, ao descobrir o ORP mais rápido, o utilizador seja capaz de ler com maior velocidade.

Segundo a empresa que desenvolveu a aplicação, a velocidade de leitura proposta vai de 250 palavras por minuto até às 1.000 palavras por minuto. De início será complicado ler com tal ritmo, mas o cérebro irá habituar-se como tempo, garante-se.

Mas não foi a pensar nos ebooks e nos textos longos que a aplicação foi criada. A tecnologia deverá aplicar-se principalmente à leitura de emails, mensagens de texto e comentários e posts em redes sociais.

Embora ainda não esteja disponível para o público em geral, a Spritz foi mostrada durante o WMC14, em funcionamento num Galaxy S5 e num Gear 2 da Samsung.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.