Os laboratórios de desenvolvimento da Hewlett-Packard estão a trabalhar num ecrã com capacidade de reprodução de conteúdos em três dimensões, sem a necessidade de recurso a óculos e com um amplo ângulo de visão. Em termos práticos, os futuros painéis da HP vão formar imagens holográficas que podem ser vistas a partir de vários pontos e por diversos utilizadores.

Os primeiros pormenores do projeto foram publicados na revista Nature e revelam que os dispositivos móveis são o principal objetivo da tecnologia que está a ser desenvolvida. O segredo da tecnologia está nos feixes de cores azuis, verdes e vermelhos a que a HP chama de pixéis direcionais e que emitem a luminosidade em várias direções criando uma figura tridimensional e holográfica.

Nos protótipos de testes a tecnologia está a ser implementada num ecrã com uma espessura de meio milímetro, o que abre a possibilidade de este novo tipo de 3D ser implementado em smartphones e tablets. Segue-se um vídeo que mostra a tecnologia em ação:

Mas ainda existem problemas para resolver. A projeção em múltiplas direções implica a existência de múltiplas imagens e ângulos que precisam de ser captados previamente. Uma imagem holográfica precisaria de 200 fotografias em diferentes posições enquanto um vídeo precisaria de ser captado por 64 ângulos diferentes - números que colocam um problema de logística e de produção de conteúdos.

Já existem dispositivos móveis no mercado que reproduzem conteúdos 3D sem o recurso a óculos, como o LG 3D Max, HTC Evo 3D e a Nintendo 3DS. O problema deste tipo de tecnologia tridimensional ativa é que os utilizadores precisam de se manter numa determinada posição e a uma determinada distância do ecrã - mais ou menos 35 centímetros - para que a profundidade das imagens seja reproduzida nas melhores condições e transmita a sensação tridimensional.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.