A Huawei reservou para Paris a apresentação do seu novo topo de gama, o P30, que renova a linha da série P e  sucede ao P20, apresentado no ano passado também na cidade das luzes. Depois de ter anunciado o smartphone dobrável no MWC19, com o Mate X, a marca chinesa dá um novo passo no caminho da estratégia de liderança do mercado móvel que definiu como meta.

"Estamos a liderar nas tecnologias de conetividade, e a ligar pessoas", afirmou Richard Yu relembrando a história da empresa nas áreas de redes móveis mas também desenvolvimento da inteligência artificial e de aplicações.

O responsável do negócio mobile afirma que o P30 reescreve as regras da fotografia, a frase que é o mote para o novo smartphone. Com um corpo pequeno, um notch reduzido, e um ecrã de 6,1 polegadas ou 6,47 polegadas, o aproveitamento do ecrã é maior mas permite um formato mais compacto e leve, com 165 e 192 gramas,  respetivamente.

Na versão P30 Pro a Huawei colocou "todas as fichas": o ecrã OLED é curvo, tem um sistema Quad Camera traseiro, mais bateria e o smartphone está garantido contra água e poeiras com o IP68.

Como já aconteceu antes, o P20 herda a utilização do processador Kirin 980, mantendo também o sensor biométrico no ecrã, agora 30% mais rápido. Mas acrescenta sobretudo capacidade na fotografia, com um sistema de quatro câmaras na traseira da versão Pro.

Outra das mudanças está na câmara de 40 MP, com 40% mais luz captada e uma classificação ISO máxima de 204.800 e 409.600 nas versões P30 e P30 Pro.

A Huawei chama-lhe SuperSensing camera e está integrada na versão P30 e no P30 Pro. A comparação em palco foi feita com a principal concorrência, o iPhone Xs Max e o Galaxy S10 Plus.

A descrição das capacidades da câmara dominou grande parte da apresentação, e é natural que isso aconteça. A parceria com a Leica está a dar à Huawei ferramentas para liderar nesta área, seguindo um interesse cada vez maior dos utilizadores que já escolhem o smartphone como equipamento de eleição para as fotos casuais mas também para movimentos mais artísticos.

Exposição longa, fotografia noturna, retrados em contra luz, foram alguns dos exemplos mostrados em palco, arrancando aplausos a uma audiência de mais de 3 mil jornalistas e clientes. O truque está nos sensores SuperSpectrum, a lente ótica SuperZoom, mas também na melhoria da estabilização de imagem OIS e AIS.

O super zoom tem sido usado como antecipação até porque o alinhamento principal do P30, triplo, mantém algumas das configurações do ano passado – o sensor de 40 MP wide angel com abertura focal f/1,8, uma  câmara de 16 MP,  com grande angular e abertura de f/2,2 e ainda a câmara de 8 MP, com abertura de f/2,4 e telefoto de 3X. Na versão P30 Pro a aposta é maior, com uma quad camera de 40MP wide angle + 20 MP ultra wide angle de f/2,2 e 8 MP telefoto de f/3,4 OIS, a que se sma a câmara TOF.

O zoom óptico de 5x, 10x híbrido e 50x de zoom digital pode fazer a diferença em imagens captadas à distância, e a demonstração feita em direto prova a capacidade de aproximação face à concorrência. A Huawei explica que o zoom digital é conseguido através de um design de periscópio, com um elemento de prisma na câmara que dobra a luz num ângulo reto para maximizar a distância focal.

De destacar ainda a camera ToF  - Time of Flight, com vários níveis de profundidade para os efeitos bokeh "profissionais" e com detalhes mais claros, mas também suporte à realidade virtual da Google. Na câmara frontal conte com 32 MP, com HDR+ para as melhores selfies.

Todas as melhorias das câmeras se aplicam também ao vídeo, com a melhor estabilização no timelapse e um modo novo de Dual-View video, que combina a wide angle com uma aproximação da imagem, tudo no mesmo ecrã, dividido ao meio.

Cores, capacidade de bateria e preços

As fotografias publicadas em vários leaks mostravam também o leque de cores disponíveis, introduzindo o vermelho ao preto, azul mar e azul céu, com efeitos de gradientes multicor, que se confirmam nos vários modelos da linha P30 e P30 Pro.

Huawei P30

No interior  da versão "normal" há uma bateria de 3.650 mAH, enquanto a versão maior tem 4.200 mAh de capacidade, com carregamento rápido a 40 W, por cabo, mas também   carregamento sem-fios a 15 W.

Entre os acessórios apresentados há um novo carregador e auriculares FreeBuds, mas também um modelo FreeLace, com um sistema de ligação USB C. Nos relógios os modelos Watch GT com mais bateria e novos materiais, assim como um modo de triatlo.

A campanha de pré-vendas dos novos Huawei arranca hoje até ao próximo dia 5 de abril, quando começam as vendas em loja. O Huawei P30 Pro de 256 GB  é o mais caro e custa 1.099 euros. Já o P30 Pro de 128 GB tem um preço de 999 euros. O mais barato  é o P30  que custa 799 euros.

Nota de redação: Foi retificado o preço do P30 para o valor correto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.