A nova linha de smartphones da gama Galaxy S da Samsung traz mais funcionalidades e melhoria em algumas áreas chave, mas não faz subir os preços dos smartphones em relação à geração anterior. José Correia,  responsável ibérico de marketing de produto, explicou ao SAPO TEK a opção que reduz o valor do modelo base Galaxy S21 em relação ao S20 4G e também diminui a diferença de preços nos modelos com mais armazenamento.

"Temos procurado integrar o feedback dos utilizadores nos telefones, o que se consegue ver em várias coisas, como features que melhorámos ou introduzimos. A parte do preço é uma componente importante e o que decidimos foi, tendo também em conta a circunstância em que vivemos em que as pessoas precisam cada vez mais de terem bons equipamentos, e procurando ser mais competitivos e passando eficiências que conseguimos ter na cadeia de abastecimentos, apresentar uma proposta que acreditamos que serve melhor os nossos consumidores", adiantou José Correia.

As diferenças não são grandes, e em alguns modelos o preço mantém-se, mas podem ser relevantes na escolha entre modelos de gama média e os novos topo de gama.

No caso do Galaxy S21 5G o preço vai começar nos 879 euros, que está abaixo do S20 4G lançado há um ano, enquanto nos modelos S21  + de 128 GB se mantém o preço nos 1.079 euros- O S21 Ultra de 128 GB tem a maior redução de preço, menos 100 euros do que o valor aplicado no S20 Ultra, fixando-se nos 1.279 euros.

A redução aplica-se também entre as versões de 128 e 256 GB, que em vez de 100 euros de diferença custam agora só mais 50 euros do que a versão abaixo.

O modelo mais caro da nova gama S21 continua perigosamente perto dos 1.500 euros: tem 16 GB de memória e armazenamento de 512 GB mas custa 1.469 euros.

Um mercado menos dinâmico mas com premium a crescer

A aposta dos preços faz parte de uma estratégia da Samsung que tem em linha de conta o posicionamento nas várias gamas.  "Temos assistido a um aumento das vendas dos segmentos premium, dos telefones com preços acima dos 600 euros", explica José Correia, lembrando que a Samsung também está a apostar nos dobráveis, os premium dos premium, que custam cerca de 2 mil euros.

Apesar de reconhecer que o mercado está menos dinâmico, com uma quebra em termos globais, explicada pelo facto do mercado estar mais maduro, em que os equipamentos são cada vez melhores e duram mais, o responsável ibérico de marketing de produto da Samsung acredita que "há claramente espaço para crescer".

Em termos de vendas a Samsung admite que são "os utilizadores de S10 que representam a grande avalanche de upgrade para o S21", admitindo ainda que há uma faixa muito interessante de "early adopters" que já têm o S20 mas que vão querer fazer a atualização para o S21 pelas características que oferece.

O que o Galaxy S21 não traz na caixa

O SAPO TEK já teve oportunidade de experimentar os novos modelos e ainda temos muito a descobrir mas, para além de tudo o que os novos smartphones trazem de novo, há ainda que sublinhar o que não trazem.

A Samsung está a seguir a mesma tendência da Apple e retirou da caixa o carregador USB-C, deixando apenas o cabo. É um sinal dos tempos, e mesmo reconhecendo que a ideia é reduzir o desperdício e poupar o ambiente (com uma estimativa de menos 30 mil toneladas de lixo eletrónico por ano, para além de conseguir reduzir a dimensão das caixas) continuamos a defender que este é um elemento importante para o consumidor e que não se deve confiar que todos já têm um carregador rápido necessário para usar o smartphone a partir do momento em que o tiram da caixa após a compra.

O mesmo com o fim do suporte ao microSD, que já acontecia no modelo base do Note 20. 128 GB de espaço de armazenamento não é assim tanto, sobretudo em equipamentos em que o consumidor paga bem caro para ter mais funcionalidades multimédia e capacidade de fazer vídeos e fotografias que rapidamente vão ocupar muito espaço. E com as opções de armazenamento na cloud a ficarem limitadas – ou exigirem pagamento – esta não é uma mudança positiva.

Os novos Samsung Galaxy S21 chegam às lojas portuguesas a 29 de janeiro e a campanha de pré-reserva tem oferta de auriculares Buds nas versões S20 e S20+, ou de Buds Pro na versão S21 Utra. Os preços partem dos 879 euros no Galaxy S21 e chegam aos 1.469 euros no modelo mais equipado do S21 Ultra com 16GB de RAM e 512 GB de armazenamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.