Um traduz automaticamente fala para fala, outro permite o ensino da língua portuguesa assistido por computador. PT-STAR - Investigação Avançada em Tradução de Fala de e para Português - e REAP.PT - Ensino de Língua Assistido por Computador - são dois projetos de investigação do Programa Carnegie Mellon Portugal que podem ajudar a projetar o português em todo o mundo, através da inovação nas tecnologias da língua.

Com fim a eliminar as barreiras da língua, o PT-STAR desenvolveu um sistema de tradução que integra um reconhecedor de fala, um motor de tradução e um sintetizador. Por isso este projeto torna possível a tradução de uma frase falada em português para texto e posteriormente, de texto para fala, com a nossa própria voz.

Luísa Coheur, líder do PT-STAR em Portugal e investigadora do INESC-ID, revela que apesar desta fase do projeto estar concluída "ainda há muito por fazer e muita vontade para continuar e para apostar num PT-STAR 2".

"Neste momento temos trabalhos em curso que analisam a transformação da entoação de uma língua para outra, o processamento de disfluências em fala espontânea, ou a combinação de sistemas de tradução para várias línguas, entre outros aspetos", acrescenta a líder do projeto.

Numa outra vertente, o REAP.PT pretende ensinar o português com a ajuda do computador e desta forma constitui-se como um instrumento de apoio para professores de alunos estrangeiros.

O projeto disponibilizou um conjunto de ferramentas que permitem uma melhor aprendizagem de palavras novas através de diferentes materiais (textos e vídeos), da perceção de significados e das várias utilizações da língua de acordo com o contexto, passando também por vários jogos didáticos.

A equipa do REAP.PT criou ainda um quadro de performances que inclui a percentagem de pontos consoante as respostas erradas e duas tabelas, uma de palavras cujas o aluno já sabe o significado e outra que eram desconhecidas.

"O REAP.PT é bastante flexível e tanto pode ser usado durante uma aula, como complemento ao trabalho do professor, ou como instrumento de 'auto-estudo', permitindo também ao professor avaliar a progressão do aluno" sublinha Nuno Mamede, líder do REAP.PT em Portugal e investigador do INESC-ID.

"O desenvolvimento e a investigação vão continuar, e estamos também a trabalhar no sentido de comercializar a tecnologia desenvolvida", garante o investigador. De momento, o projeto já está a ser testado há mais de um ano na Universidade do Algarve com resultados "muito positivos".

O vídeo abaixo contém uma demonstração do protótipo do REAP.PT.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.