A série Flight Simulator é bastante antiga e sempre representou a experiência mais fidedigna do que é pilotar um avião comercial na vida real, das avionetas aos grandes Airbus. Julga-se mesmo que os terroristas do “11 de setembro” tenham treinado com o simulador antes dos atentados. O certo é que faz 13 anos que a comunidade não recebe um novo título da série, tendo entrado num hiato que passou ao lado de toda uma geração de gaming.

Flight Simulator sempre se destacou pelas mecânicas profundas de como pilotar um avião, todos os passos necessários para colocar o aparelho nos céus, desde as manobras de levantar voo à aterragem. E a comunidade impressionante de entusiastas foram sempre adicionando conteúdos, seja a caracterização das companhias aéreas, à produção das infraestruturas de apoio, como as torres de controlo, por exemplo, para tornar o ecossistema ainda mais real.

A nova versão promete manter as melhores características da série, e no que diz respeito à componente multijogador, os fãs parecem ter bons motivos para ficarem entusiasmados. Num recente diário de produção, a equipa do estúdio francês Asobo revelou alguns features importantes que a comunidade pode esperar da vertente online. O estúdio está a criar um mundo massivo à escala real, partilhado entre todos os jogadores. Nele inclui-se condições meteorológicas reais, que devem ser lidadas de forma realística, assim como o tráfego aéreo.

Existem diferentes modos multijogador que os jogadores podem optar, com regras distintas. E um ponto interessante é que se um jogador sair da partida, o computador assume o controlo, mantendo o avião no ecossistema, para que não haja efeitos de “triângulo das Bermudas” em que os aparelhos desaparecem misteriosamente do ar. Outro aspeto importante é que os servidores utilizam dados streamline, por isso os pilotos virtuais só vão ver os aviões que estão perto de si, é referido no diário de produção em vídeo.

No vídeo pode assistir a mais detalhes sobre a componente multijogador.

O novo título irá manter a atenção ao detalhe, com o maior realismo possível, e será suportado por diferentes periféricos, ao gosto de cada jogador, desde joysticks, acessórios de pilotagem com pedais, mas claro, o teclado, rato e controlador serão obviamente suportados.

E para que os fãs não se sintam abandonados, como até aqui, a Microsoft já confirmou que tem preparado um plano de 10 anos de suporte ao simulador após o seu lançamento, com conteúdos e atualizações, aviões, módulos de jogo e diversos add ons produzidos pelo próprio estúdio. Foi mesmo adiantado que a Asobo está a trabalhar próximo da comunidade para ajudar nos futuros conteúdos.

E como curiosidade, sabe como é que a famosa série da Microsoft foi parar às mãos do estúdio francês? Em 2016, a Asobo produziu uma demo tecnológica para o HoloLens baseado no Flight Simulator, recriando a simulação em 3D. O projeto mostrou a cidade de Seattle baseada em imagens de satélite, o que agradou muito a Phil Spencer, o patrão da Xbox, incentivando-o a convidar o estúdio a desenvolver o novo Flight Simulator baseado no protótipo produzido.

E veja-se pelas imagens a beleza natural das paisagens vistas dos céus e no detalhe não só das aeronaves, como dos próprios cockpits. O estúdio garante que a versão final do simulador vai correr a 4K e a 60 FPS. Em trailers anteriores é possível ver cidades como Barcelona, Bruxelas, Copenhaga, Florença e Zurique, com muitos detalhes a roçarem o fotorealismo. O estúdio estará mesmo a reproduzir com fidelidade cada cidade individualmente, considerando a sua topografia do terreno e locais e estruturas icônicas, rapidamente identificáveis.

A produtora teve acesso a quase 2 Petabytes de dados, contendo todas as cidades do planeta: quase dois milhões de localizações, assim como todos os aeroportos do mundo (45 mil). E para rechear a paisagem, todas as estradas e montanhas do planeta através de dados do Bing Maps da Microsoft, que estão à disposição do estúdio para utilizar no jogo. Para já, para o lançamento da base de Flight Simulator, foram escolhidas 400 cidades representadas.

O computador Azure está mesmo a ser utilizado para os últimos detalhes, para que cada casinha das cidades tenha a cor da sua versão real e que o tipo de árvores esteja relacionado com o seu ecossistema. Para além de diferentes condições meteorológicas, o jogo respeita o ciclo noite e dia das 24 horas, variando a sua iluminação. Ambicioso? Só no lançamento será possível atestar.

Claro que quando se fala em gráficos gerados através de computação em cloud, a velocidade de internet vai ser um fator decisivo para quem quer experienciar o simulador na sua melhor prestação. O jogo vai ter uma ferramenta que mantém a leitura da consistência e largura de banda, oferecendo assim a melhor experiência mediante as condições. No entanto, também vai correr em offline, obviamente com mais limitações gráficas, mas ainda assim suficientemente detalhado. O sistema de pré-cache garante o carregamento de algumas regiões para que as desfrute como se estivesse online.

Para elevar o realismo, o estúdio já garantiu as licenças de transportadoras aéreas e fabricantes como a Airbus, Boeing, Daher, CubCrafters, Diamond Aircraft Industries, Icon aircraft, Robin Aircraft e Textron Aviation. Obviamente que as parcerias garantem o acesso aos aviões para produzir cockpits mais realísticos, e claro, os instrumentos analógicos funcionais. Há mesmo empresas que disponibilizaram maquetes digitais em CAD para os designers trabalharem.

TEK Flight Simulator
A atenção no detalhe dos cockpits é uma aposta do estúdio.

O desafio do estúdio passa mesmo por simular a iluminação dentro do cockpit, mas também os ecrãs táteis dos instrumentos representados e interativos. Para tal haverá a ajuda de cursores e interface contextual, com dicas a acompanhar, assim como um sistema de checklist interativa, para guiar os pilotos virtuais menos experientes nas etapas necessárias para colocar o aparelho no céu. Os instrumentos podem ser manuais ou automáticos, altamente personalizáveis, de acordo com a experiência dos jogadores. Além da iluminação, os aviões serão afetados pelo vento, mas os jogadores irão também sentir o peso das suas decisões e manobras.

Ainda não se sabe a data de lançamento de Flight Simulator, mas será durante este ano, para já como exclusivo no PC e Xbox One, e disponível no catálogo do Xbox Game Pass.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.