Um vídeo publicado pelo artista mostra um protótipo do Polyscape, nome do projeto, a funcionar.

O mapa está assente numa estrutura amovível que o obriga a mexer-se para representar o relevo de determinada área que esteja a ser consultada, ou seja, para mostrar uma montanha, aquela parte do mapa sobe, se pelo contrário há uma depressão no terreno, encolhe.

O projeto inclui também alguns "efeitos" que fazem com que o "mapa 3D" pareça saído de um filme de ficção científica.

Veja o vídeo:

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.