Do primeiro fato desenvolvido para suportar a pressão em altitude, criado nos longínquos anos 40 do século passado para o avião X1, às roupagens mais sofisticadas que têm servido aos astronautas das Space Shuttle, a NASA acaba de disponibilizar um novo livro que percorre a história dos fatos criados para os seus vários programas.

[caption][/caption]

Em 1933, Mark Ridge tornou-se "aparentemente" no primeiro humano a vestir e testar um fato de pressão numa câmara de altitude.



Intitulado "Dressing for Altitude: U.S. Aviation Pressure Suits -- Wiley Post to Space Shuttle", o livro
conta com 526 páginas repletas de fotos, gráficos e testemunhos de engenheiros, pilotos, astronautas e técnicos que participaram em vários programas espaciais.


[caption][/caption]

O fato Goodrich XH-5, de 1946, também conhecido como "tomatoworm" pelas formas exageradas dos braços e das pernas.


A ideia, segundo a agência norte-americana, é mostrar como evoluíram os fatos especiais usados pelos homens e mulheres que viajaram a grandes altitudes, e cuja pressão obrigou ao desenvolvimento constante de roupas que os protegessem para além da capacidade natural humana.


A NASA esclarece que os "fatos de pressão" não são "fatos vestidos pelos astronautas para andarem pelo espaço", estabelecendo uma diferença entre os vários tipos de fatos desenvolvidos ao longo de décadas. Em termos práticos, os programas espaciais requereram não só roupagens para lidar com o vácuo do espaço, mas também com os inúmeros gases que compõe as várias camadas da atmosfera, onde centenas de voos foram e são realizados.

[caption][/caption]

Também em 1946, o Dr. James P. Henry da Universidade da Califórnia do Sul desenvolveu o primeiro fato de pressão parcial funcional.

[caption][/caption]

1960: terceiro salto de teste do fato ExcElsior, a partir de um balão a mais de 30 mil metros.


"Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de fornecer uma história da tecnologia, bem como explorar as lições aprendidas ao longo dos anos, na pesquisa, criação, teste e utilização dos atuais fatos para usar em altitude", afirmou a propósito deste livro Tony Springer, responsável máximo do Aeronautics Research Mission da NASA.

[caption][/caption]

Anos 70: O S-100 foi o primeiro fato de pressão parcial a usar um capacete de pressão integral


O livro tem autoria do engenheiro espacial Dennis R. Jenkins, que conta com cerca de 30 anos de experiência na participação em diversos programas espaciais da NASA, incluindo os que usaram os Space Shuttle.

No comunicado da agência sobre a obra, ficamos a saber que Jenkins ganhou gosto pelo tema ao estudar as duas empresas que mais contribuíram para o desenvolvimento deste tipo de fatos - a Goodrich e a David Clark Company. "Pouco sabia sobre fatos de pressão quando comecei a fazer o livro, pelo que todo o processo foi um exercício de aprendizagem para mim" explica o autor.

[caption][/caption]

1994: O piloto de testes da NASA, Ed Schneider, em preparação para o primeiro voo com o fato S1030.

[caption][/caption]

Fereveiro de 2010: demonstração do S1035, um dos últimos fatos concebidos para as viagens no Space Shuttle.


A partir do seu site, a NASA permite na encomenda de um exemplar em papel do novo livro que custa 75 dólares, mas pode optar pela transferência gratuita da versão em EPUB, MOBI ou PDF.

Nota de redação: Foi corrigida uma gralha no texto.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.