A ideia do Vertebrate Genomes Project (VGP) é quase criar uma Arca de Noé de todos os animais vertebrados, sequenciando mais de 66 mil espécies. Ontem mostrou os desenvolvimentos conseguidos nos últimos três anos, com a divulgação de 15 genomas e a base de trabalho metodológico, mas também alertou para o facto de estar longe de alcançar os objetivos financeiros para completar o projeto.

Os cientistas divulgaram 15 genomas de 14 espécies, que já estão disponíveis na base de dados do Genome Ark, que é referida como “a nossa apresentação ao mundo" pelo diretor do programa VGP-G10K Program, Sadye Paez.

O cientista explica que nesta "biblioteca genética digital" vão ser sequenciados os genomas de oito mil espécies que estão em risco de extinção. "As pessoas não se apercebem que estamos à beira da sexta extinção em massa, devido ao impacto humano", adianta, referindo que esta é uma questão moral. "Temos de juntar os cientistas e as pessoas para parar estes eventos de extinção. É a coisa certa e a coisa moral a fazer para o nosso Planeta".

O impacto é enorme na biologia mas também no desenvolvimento de outras ciências, entendendo a causa e evolução de doenças, por exemplo.

Para já os genomas divulgados incluem quatro mamíferos - duas espécies de morcegos, um lince do Canadá e um ornitorrinco - três pássaros, uma nova espécie de tartaruga, um anfíbio sem membros e cinco espécies de peixes. As sequências serão agora analisadas e adicionadas às bases de dados de genomas, de acordo com um comunicado do grupo.

A apresentação dos 15 genomas pretende dar mais visibilidade ao projeto e conseguir assim apoio para o desenvolvimento das várias fases do projeto, que culminam no sequenciamento de todos os vertebrados conhecidos, num total de mais de 66 mil.

O Vertebrate Genomes Project (VGP) é uma reformulação do  Genome 10K Project (G10K) que tinha uma meta mais modesta, pretendendo sequenciar os genomas de 10 mil espécies. O G10K produziu cerca de 100 genomas, mas os dados não eram muito detalhados, em parte devido ao custo do sequenciamento. Mas o mercado mudou e agora o custo do sequenciamento de alta qualidade caiu para menos de 15.000 dólares por mil milhões de de bases de DNA, colocando genomas vertebrados detalhados ao alcance da comunidade científica.

Este é um ponto de viragem que o projeto quer explorar, mas precisa de conseguir aumentar o financiamento. O VGP já conseguiu 2,5 milhões de dólares mas precisa de 6 milhões para sequenciar uma espécie representativa de cada um dos 260 principais ramos da árvore genealógica dos vertebrados. Para atingir a meta de todos os 66 mil vertebrados, serão necessários cerca de 600 milhões de dólares.

O crowdsourcing é agora uma das hipóteses exploradas pelo projeto, depois de ter esgotado os subsídios públicos e os apoios à fundação. O programa "Adote uma espécie” é uma das iniciativas desenvolvidas, com a qual podem vir a duplicar a capacidade de espécies adicionadas em cada semana.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.