A sonda Rosetta é desde o início de agosto o satélite artificial do cometa Churyumov-Gerasimenko, também conhecido como 67P. Depois de uma viagem de dez anos pelo sistema solar o equipamento conseguiu aproximar-se o suficiente do cometa para ficar agarrado pela sua gravidade. Agora começam a ser divulgados os primeiros resultados dos primeiros dias de “perseguição”.



A Rosetta enviou para a Terra uma imagem de alta definição e com grande detalhe do cometa 67P, que foi captada a 104 quilómetros de distância do astro:

[caption]67P by Rosetta[/caption]

Como refere o Mashable, a fotografia foi captada pelo sensor OSIRIS que está a bordo da sonda e que também tem a capacidade de captar imagens em 3D estereoscópico.



Os pormenores do cometa foram captados logo um dia após a chegada da Roseta ao 67P, a 6 de agosto, e mostram um corpo celeste que é formado por dois grandes blocos de faces irregulares e que são ligadas por um pequeno “pescoço”.



Nos próximos meses a sonda Rosetta deve enviar para a Terra mais imagens do 67P em alta resolução, à medida que se vai aproximando ainda mais do cometa.



Em novembro está prevista a conclusão da segunda fase de exploração e que passa por largar um equipamento da sonda que vai ficar agarrado à superfície do cometa enquanto este faz a sua aproximação ao Sol. A experiência permitirá registar com mais detalhe um dos fenómenos mais comuns ao nível da astronomia.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.