Pensar em armas portáteis de raios X possivelmente remete a imaginação dos leitores para filmes de ficção científica, num universo paralelo onde exércitos combatem entre si com equipamentos de última geração. Mas a Mini Z, ferramenta desenvolvida pela empresa American Science & Engineering, tem propósitos mais “reais” e promete ser uma arma valiosa para as forças de segurança.



O equipamento portátil permite que um polícia possa verificar se um pneu de um carro esconde pacotes de droga ou se atrás de uma parede existem armas. Uma das vantagens da Mini Z relativamente a outros detetores de objetos é que além de dar uma imagem visual, na hora, da “digitalização” que foi feita, permite encontrar equipamentos como armas criadas em impressoras 3D.



O equipamento consegue “ver” através de tecido, borracha e até alumínio.

Cada arma de raios X vai custar 50 mil dólares, cerca de 36 mil euros, mas existem nichos de mercado onde este sistema portátil pode ter sucesso, como nos agentes que controlam as fronteiras entre países.



Com um peso de quatro quilogramas e um comprimento que ronda os 30 centímetros, a Mini Z apresenta algumas limitações como a capacidade de deteção limitada a alguns centímetros. Mas como forma de compensação, o equipamento não representa perigo para a saúde de quem o está a utilizar.



Os resultados do raio X que é feito aos objetos são depois mostrados num tablet que acompanha o equipamento, sendo que a comunicação entre os dois dispositivos é feita através de tecnologia wireless, escreve o Daily Mail.



A empresa norte-americana AS&E já tem tradição neste tipo de tecnologias, mas este é o seu primeiro equipamento portátil. Um outro dispositivo que a empresa desenvolve, mas de maiores proporções, tem como objetivo a deteção de objetos, drogas e explosivos em camiões e transportes de carga.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.