Chama-se Ulo e é uma câmara de vigilância que leva a cabo essa função e comunica com o utilizador através de expressões visuais, com uns grandes e expressivos olhos de mocho. Literalmente.

Na prática, os dois grandes olhos da Ulo são um par de ecrãs LCD de 1,22 polegadas, que podem ser personalizados através do site oficial ou de uma app móvel em termos de cor, tamanho e forma.

Não há lugar à apresentação de qualquer mensagem como forma de apresentar informação ao utilizador, pois são expressões faciais representadas pelos olhos que cumprem essa missão.

Ou seja, os olhos da Ulo mostram uma expressão triste quando a bateria chega a apenas 10%. Da mesma forma que, quando é captada uma foto, a Ulo pisca os olhos. A câmara junta os olhos ao centro quando está a ser transmitido vídeo em direto, também.

 

Por baixo dos olhos, ao centro, está o sensor de movimentos que é também uma câmara Full HD a 30 fps. A Ulo acompanha com o olhar quem ou o que for detetado pelo sensor, já que dois toques no botão principal ativa esse modo de alerta.

O mesmo modo é ativiado sempre que o smartphone emparelhado sai do alcance da rede Wi-Fi em que está integrada a Ulo, sendo que uma GIF animada é enviada para o utilizador sempre que for detetado movimento no raio de alcance da câmara.

De resto, além de incluir um microfone e adesivos para fixação na superfície que desejar, a Ulo é compatível com ações IFTTT e estava previsto que integrasse um modo de visão noturna à base de infravermelhos, funcionalidade que acabou por ser “deixada cair”, por assim dizer.

Nota importante: na página da campanha de crowdfunding da Ulo há relatos de compradores europeus que estão a receber notificações para desembolsarem um valor extra para que a câmara chegue “a bom porto” através da respetiva alfandega do país em causa.

Neste momento a compra pode ser feita diretamente no site da Ulo, por 199 euros, mas esteja preparado para pagar um valor extra relativo ao envio a partir da China, possivelmente, quando as câmaras começarem a ser enviadas para quem aderiu à campanha.