Quando em 2009 decidiu reformular o conjunto de aplicações de informação geográfica que disponibilizava online, a Câmara Municipal de Oeiras tinha um objetivo principal: oferecer aos seus munícipes um melhor serviço.

As intenções passavam, também, pela necessidade de reduzir os custos e foi assim que, "juntando o útil ao agradável", optou por migrar as aplicações que existiam em software proprietário para software open source.

PostGreSQL/PostGIS, GeoServer, Ubuntu e OpenLayers foram algumas das tecnologias usadas para fazer chegar aos munícipes, via Web, cinco aplicações distintas de exploração de informação geográfica, como a consulta aos Planos Municipais de Ordenamento do Território, a emissão de Plantas de Localização, a consulta da informação estatística, da informação sobre equipamentos e empresas e de informação turística.

Em termos de benefícios, hoje os munícipes têm um acesso mais rápido e facilitado a estes serviços, evitando inclusivamente algumas deslocações aos serviços municipais.

Os técnicos do município têm uma ferramenta de consulta de informação geográfica de apoio ao seu trabalho diário, sem necessidade de conhecimentos específicos em ferramentas de SIG, apenas sendo necessário a utilização de um browser de Internet.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Nota de redação: Ao longo dos próximos dias pode acompanhar aqui no TeK mais casos de implementação de projectos open source em Portugal, uma iniciativa que assinala o vigésimo aniversário do Linux.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.