O ataque informático foi confirmado ontem e várias notícias apontam para roubo de dados dos servidores, e um pedido de resgate de cerca de 10 milhões de euros, mas a empresa não confirma nenhum destes dados, adiantando apenas que está a colaborar com as entidades competentes. Ao SAPO TEK uma fonte da EDP afirmou que esta manhã a situação ainda não está totalmente reposta, mas que a empresa está a trabalhar na solução.

"A prioridade neste momento é repor os serviços da empresa, especialmente os que são mais direcionados para o atendimento aos clientes", refere a mesma fonte, indicando que este é um dos serviços que está ainda com alguns problemas.

Ainda ontem a EDP afirmava em comunicado que tinha sido afetada a rede corporativa, e que isso estaca a "condicionar o normal funcionamento de uma parte dos seus serviços e operações”.

“Não se regista, contudo, qualquer impacto na continuidade do fornecimento de energia. Os serviços críticos de supervisão e controlo da rede elétrica de distribuição estão a operar normalmente, embora com adaptações decorrentes de algumas limitações”, refere o mesmo documento, que explicita ainda que foram aplicadas “medidas de prevenção e proteção dos sistemas que suportam as operações”.

Desde logo a EDP contactou as autoridades e está a trabalhar com o da empresa, estando a trabalhar com o Centro Nacional de Cibersegurança e com a Altice Portugal, analisando "a origem e a anatomia deste incidente, para que os serviços e operações em causa sejam rapidamente restabelecidos”.

O Jornal de Notícias avançava com a informação de que os hackers responsáveis pelo ataque terão deixado um pedido de resgate na Dark Web, reclamando o pagamento de 1580 bitcoins, o que corresponde a cerca de 9,8 milhões de euros. Na mensagem há a ameaça de divulgar dados de clientes e parceiros.

O grupo CyberTeam publicou no Twitter uma mensagem onde reclama a autoria do ataque, referindo que a Altice é o próximo alvo e rematando com a frase "fique atento, 25 de abril está chegando".

A EDP é um dos principais alvos de ataques de malware e esquemas de phishing, mas a empresa tem feito um trabalho de formação interna dos trabalhadores para a cibersegurança e tem um centro de treino e testes de cibersegurança, para operadores de infraestruturas críticas, que o TeK já foi conhecer.

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação. Última atualização 12h49

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.