Anunciada ainda em Dezembro, é hoje apresentada oficialmente a iniciativa Campus Virtuais, ou "e-U", um projecto do Governo que pretende angariar a participação de diversas entidades para facilitar o acesso à Internet nos estabelecimentos do ensino superior e dinamizar a publicação de conteúdos em língua portuguesa. Em Fevereiro vão ser iniciadas as primeiras instalações de redes e definida a oferta para alunos e professores, mas os primeiros "pacotes" só deverão chegar aos alunos a partir de Março.



O projecto Campus Virtuais é gerido pela Unidade de Missão Inovação e Conhecimento (UMIC), entidade tutelada pelo Ministro-Adjunto do Primeiro-Ministro, José Luís Arnaut, e conta com um orçamento global de 25 milhões de euros, assegurados pelo Programa Operacional Sociedade da Informação (POSI).



O programa agora lançado pretende garantir a criação de redes wireless de banda larga nas Universidades e Institutos politécnicos. Ao mesmo tempo, visa a publicação de conteúdos em língua portuguesa por parte das instituições de ensino superior e a webização dos serviços, e também a facilitação do acesso a computadores portáteis por parte dos professores e alunos de forma a que possam tirar proveito das redes e dos conteúdos no âmbito dos curriculos.



José Luís Arnaut, ministro adjunto do Primeiro-ministro, explica que o programa "e-U", visa "dar ferramentas aos alunos e professores que lhes possibilitem chegar à fronteira do conhecimento". Porém, como referido em comunicado, o sucesso da iniciativa exige o empenho de todas as entidades envolvidas: Governo, estabelecimentos de ensino superior, empresas, professores e alunos.



Para já, na cerimónia de inauguração, a UMIC conta com a presença de representantes de empresas produtoras de hardware e software (Apple, Dell, Fujitsu-Siemens, HP/Compaq, IBM, Intel, Microsoft e Toshiba), bancos (BCP, BES, BPI e Caixa Geral de Depósitos), operadores de telecomunicações (Cabovisão,Clix, IOL, ONI,Portugal Telecom, Via Networks e TV Tel) e ainda a FCCN (Fundação para a Computação Científica Nacional).




Embora não estejam ainda definidos os preços dos "pacotes" a oferecer aos utilizadores (uma conjugação entre os serviços de acesso à Internet em banda larga e a aquisição de computadores portáteis através de sistemas de crédito), foi definido que o valor não deverá ultrapassar os 50 euros por mês durante um período máximo de 3 anos.




A primeira fase de instalação das redes dos projectos-piloto vão decorrer a partir de Fevereiro em diversas Universidades no Minho, Porto, Aveiro, Coimbra e Lisboa. Ainda em Fevereiro será aberto o concurso para a candidatura dos estabelecimentos de ensino superior ao financiamento do POSI para a implementação do projecto.



A definição da oferta em termos de serviços de acesso à Internet e de computadores portáteis está a decorrer, segundo calendário apresentado pela UMIC, mas só em Fevereiro deverão ser conhecidos os diferentes "pacotes" disponíveis que serão comercializados a partir de Março.

Notícias Relacionadas:

2003-01-20 - UMIC lança Campus Virtuais para massificar acesso móvel à Internet e a PCs portáteis nas universidades

2002-12-18 - Professores e estudantes com acesso facilitado a compras de portáteis


2002-12-18 - Primeira reunião da Comissão Interministerial apresenta prioridades

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.