A Riot Games escolheu a Cisco como parceira tecnológica para montar a sua nova infraestrutura de suporte às competições profissionais de League of Legends. O contrato, válido por vários anos, garante uma rede que abrange os cinco continentes, cobrindo os três eventos globais anuais, de forma a melhorar a experiência competitiva dos jogadores profissionais. Uma medida que tem em conta a situação pandémica atual que impede a maioria das competições de se realizarem fisicamente, passando para o domínio online.

Segundo é referido no comunicado, a solução de rede da Cisco pretende alimentar o servidor privado da Riot, chamado The Realm, que será utilizado exclusivamente em competições profissionais, durante as três competições: League of Legends World Championship, Mid-Season Invitational e o evento All-Star.

“Como um desporto completamente dependente da tecnologia, é essencial que League of Legends corra numa rede de confiança e segura”, afirma Scott Adametz, o responsável tecnológico de eSports da Riot Games. A editora refere que com a Cisco como parceira, será possível expandir a infraestrutura para suportar os seus profissionais espalhados pelo mundo.

Pelo seu lado, a Cisco afirma o seu compromisso em redesenhar a internet do futuro, tendo os eSports um grande impacto nesse objetivo, pois há mais pessoas online do que nunca, seja para o trabalho como para entretenimento. E para isso é necessária uma rede que garanta velocidade e qualidade, necessárias para o futuro.

Quanto à tecnologia fornecida, a Cisco irá disponibilizar a Cisco UCS, composta por servidores em Blade e Rack, e switches Nexus Data Center, que a fabricante afirma permitir obter uma melhoria na performance do gameplay, assim como as capacidades de transmissão do estúdio. Também vai fornecer uma arquitetura flexível para os centros de transmissão regionais da Riot, de forma a garantir a integridade competitiva nos eventos desportivos para os próximos anos.

Na prática, as duas empresas estão a construir uma estrutura de suporte a partidas online que garanta uma latência abaixo de 1 ms, numa melhoria de cerca de 200% da performance da anterior tecnologia. Por outro lado, espera-se que haja uma diminuição de espera nas transmissões, ao mesmo tempo que a imagem é melhorada, como se os espetadores estivessem no próprio estúdio a assistir em direto as partidas.

Na atualização, a Riot Games pretende oferecer 200 novos servidores de jogos para o torneio, a nível global, estabelecendo uma infraestrutura comum na virtualização das suas máquinas, armazenamento e computação, de forma a melhorar a performance e reduzir a latência aos torneios profissionais regionais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.