Foi por volta das 12h50 de domingo que um piloto da British Airways reportou uma colisão à torre de controlo do aeroporto de Heathrow, em Londres. Às autoridades, o homem disse ter colidido com um drone na parte frontal da aeronave durante a abordagem final à pista de aterragem. A bordo do avião seguiam 132 passageiros e cinco tripulantes.

A Polícia Metropolitana de Londres está a investigar o caso que, a confirmar-se, representará o primeiro acidente confirmado entre um drone e um avião. O piloto do drone ainda não foi identificado. Após a aterragem a aeronave foi examinada e declarada apta para voar poucas horas depois.

De acordo com a União Britânica de Pilotos, só nos últimos seis meses já se registaram mais de 23 incidentes com estes aparelhos voadores. Apesar de nunca se ter assinalado qualquer choque até à data, a colisão de um drone com a cabine do piloto ou com um dos motores, pode facilmente causar uma catástrofe.

"É totalmente inaceitável fazer voar drones perto de aeroportos e qualquer pessoa que despreze as regras pode enfrentar punições severas, incluindo prisão," disse o porta-voz da Autoridade da Aviação Civil Britânica. "Alguém que pilote um drone deve fazê-lo de forma responsável e observar todas as regras e regulamentos relevantes. As regras para drones foram desenhadas para nos manter a todos em segurança," defendeu.

Depois de as vendas de drones terem disparado em 2015, o tema ganhou relevância, embora em muitos países ainda não exista legislação clara sobre o tema, como é o caso de Portugal onde podia ter acontecido um caso semelhante. No último ano foram apreendidos cinco drones nas imediações do aeroporto de Lisboa, de acordo com uma notícia do jornal Sol.

Em janeiro a Administração Federal de Aviação norte-americana (FAA) anunciou que todos os veículos aéreos não tripulados com pesos compreendidos entre os 250 gramas e os 25 quilos tinham de ser registados, sob pena de uma multa que pode ascender a 250 mil dólares e a três anos de prisão para crimes mais graves. Os Estados Unidos são um dos países mais avançados no enquadramento legal da utilização de drones por civis.

No Reino Unido também já existe legislação para o efeito mas várias associações de aviação têm pressionado as autoridades para ir mais longe levarem a cabo testes que determinem os perigos reais da colisão entre um drone e um avião comercial o que, para Steve Landells, especialista em segurança de voo, "é apenas uma questão de tempo".

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.