O Circular Electron Positron Collider (CEPC) vai ser construído num túnel subterrâneo com um perímetro que deverá rondar entre os 50 e os 100 km, avança a imprensa chinesa, o que compara com os 27 km do Large Hadron Collider (LHC), operado pelo CERN na Suíça.

Além de ter o dobro do tamanho, o acelerador chinês poderá gerar sete vezes mais energia do que o correspondente europeu, ampliando as hipóteses da física de partículas entender as entidades que compõem a matéria e o Universo a uma escala inédita.

O projeto chinês terá começado a ser idealizado em 2013, depois da descoberta do bosão de Higgs, a chamada “partícula de Deus”, elemento da estrutura fundamental da matéria, que valeu o Prémio Nobel da Física a François Englert e Peter Higgs.

A “fábrica” chinesa de partículas de Deus está a ser terminada como projeto de conceito, prevendo-se que a construção no terreno comece entre 2020 e 2025.

Na Europa, o LHC terá regressado recentemente à atividade, depois de dois anos de “descanso”. Fazer novas observações do bosão de Higgs, conseguir detetar matéria negra e tentar encontrar matéria que só terá existido logo a seguir à grande explosão que formou o universo, são alguns dos objetivos a serem cumpridos nesta segunda fase do projeto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.