Depois de ter lançado um alerta para o facto de mais de 10 milhões de consumidores europeus correrem riscos por ouvirem música muito alto e durante muito tempo nos seus leitores pessoais, a Comissão Europeia avança hoje com medidas que pretendem reduzir estes problemas e a perda de audição.

O executivo europeu quer que os fabricantes de equipamentos de música, como leitores de MP3 e MP4 e telemóveis, definam como volume standard os 80 decibéis, um nível de som considerado seguro para quem ouve música em auriculares, mas com um limite de exposição a 40 horas por semana.

A proposta que hoje foi adoptada pela Comissão Europeus prevê ainda que sejam feitas campanhas de informação adequada aos consumidores, principalmente aos mais jovens, sobre os riscos.

Estas recomendações não são obrigatórias porque o executivo europeu não quer limitar a capacidade de inovar dos fabricantes, mas estes standards vão ser adoptados nos próximos 24 meses pelo CENELEC, o organismo de normalização europeu que envolve cientistas, indústria e grupos de consumo, tornando-se de facto a norma da indústria.

Por enquanto recomenda-se aos utilizadores que verifiquem se podem estabelecer um volume máximo de som nos seus aparelhos dentro dos níveis recomendáveis.

Em Outubro do ano passado um parecer do Comité Científico dos Riscos para a Saúde Emergentes e Recentemente Identificados (CCRSERI) levou a Comissão Europeia a alertar os utilizadores para o facto da utilização continuada e o volume elevado do som nos leitores de MP3 serem dois dos principais factores que podem levar à perda de audição

5 a 10 por cento dos utilizadores que escutam mais de uma hora de música nos MP3 por semana, com volume alto e durante pelo menos 5 anos, podem perder capacidade auditiva, chegando mesmo à surdez, concluía um estudo do mesmo comité que definia já como nível seguro os 80 decibéis.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.