Sócrates e os seus ministros saíram, e não quiseram deixar informação para trás. Pelo menos a julgar pela "operação de limpeza", promovida uma semana antes do novo Governo tomar posse, nos computadores dos ministérios das Finanças e da Economia. O procedimento é encarado como uma "prática comum" na mudança de pastas.

Segundo avança o jornal i, na edição desta quinta-feira, os funcionários dos gabinetes daqueles ministérios ficaram sem informação nos computadores com que trabalhavam, os emails profissionais deixaram de ter histórico ou lista de contactos e os discos rígidos foram limpos.

A "operação de limpeza", que também implicou a recolha física de computadores, em alguns casos, foi feita pelo Ceger, organismo responsável pela gestão da RiNG, rede informática do governo onde está alojada toda a informação interministerial e também os emails profissionais dos funcionários, entre outros dados.

Através desta rede, os funcionários dos gabinetes ministeriais podem fazer uma gestão documental do trabalho em curso, têm acesso ao seu email profissional, à agenda do Conselho de Ministros, aos processos legislativos (diplomas) que estão a decorrer e podem fazer chamadas de voz, através da internet, entre ministérios. Toda a informação da RiNG, à excepção da agenda do Conselho de Ministros, foi limpa, apurou o i.

Apesar do procedimento, os documentos oficiais estarão seguros e protegidos num sistema de armazenamento de documentação que passou para o novo executivo, estando em causa apenas informações de gestão diária dos gabinetes que não têm uma componente oficial. Este tipo de acção é encarado como uma prática comum na passagem de pastas, refere o jornal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.