Uma equipa de cientistas da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) desenvolveu três sistemas tecnológicos de proteção de pessoas e elementos expostos a incêndios florestais. As soluções consistem numa cobertura para proteção de pessoas em viaturas, numa cerca para proteção de habitações e de aglomerados populacionais e num sistema de aspersão capaz de reduzir o impacto do fogo nas estruturas dos edifícios.

O desenvolvimento destes sistemas insere-se no âmbito do projeto “Fire Protect - Sistemas de Proteção de Pessoas e Elementos Críticos Expostos ao Fogo”, que contou com a participação de 25 investigadores da Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI) e do Instituto de Sistemas e Robótica (ISR), da FCTUC.

A cobertura de proteção de pessoas em viaturas destina-se a proteger autotanques de bombeiros. De acordo com Domingos Xavier Viegas, coordenador do projeto, dos vários testes realizados pôde-se concluir que "são sistemas resistentes ao fogo e podem garantir condições de sobrevivência a pessoas que estejam dentro de uma viatura".

A cerca de proteção de casas e de aglomerados populacionais consiste num sistema composto por aspersores de água, um mecanismo de bombagem autónomo com motor a diesel ou elétrico e um reservatório de água. Segundo Domingos Xavier Viegas, as experiências realizadas demonstraram que, "com recurso a uma pequena quantidade de água, o sistema molha a vegetação de forma eficaz e consegue proteger um perímetro de algumas centenas de metros. Verificámos que quando as chamas chegam junto dessa zona humedecida baixam a sua intensidade".

O sistema de aspersão, por sua vez, é instalado no próprio edifício. Quando se aproxima um incêndio, asperge água para humedecer o telhado e as paredes de forma a reduzir as consequências do impacto do fogo.

Estas soluções inovadoras originaram já quatro pedidos de patente. O projeto “Fire Protect - Sistemas de Proteção de Pessoas e Elementos Críticos Expostos ao Fogo” teve um financiamento de 700 mil euros do programa Mais Centro da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC).

Com o objetivo de explorar os resultados do “Fire Protect”, foi já constituída uma Spin-off. Os investigadores pretendem agora estabelecer parcerias tendo em vista a comercialização da tecnologia desenvolvida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.