As vendas no mercado português de portáteis caíram 22 por cento em 2010, de acordo com os últimos dados do Observatório Toshiba. Vários factores explicam a queda, mas entre eles está o abrandamento de projectos educativos como o e-escola e o e-escolinha, que ao longo dos últimos anos tiveram um peso muito significativo nas vendas do sector.



Excluindo o impacto deste tipo de projectos no mercado, as vendas de portáteis em Portugal aumentaram cerca de 10 por cento em 2010, face ao ano anterior. Em unidades, o mercado absorveu cerca de um milhão de portáteis, mais de 60 por cento encaminhadas para o retalho.



Os netbooks representaram 23 a 25 por cento das vendas totais do segmento, num crescimento que não terá ultrapassado em muito os 10 por cento, revelou Jorge Borges, que apresentou os dados.



Os preços dos portáteis diminuíram ao longo do ano mas menos que em anos anteriores, recuando entre 3 a 4 por cento, conforme precisou o director de marketing da Toshiba Portugal.



O mercado de TVs, no mesmo período, cresceu mais de 25 por cento, com 850 mil unidades vendidas. Contribuíram positivamente para a performance deste mercado a existência de um campeonato do mundo de futebol e o interesse dos consumidores pelos modelos com tecnologia LED.



Este ano a tendência deverá manter-se - na mesma ordem de grandeza - , impulsionada pela prevista migração da televisão analógica para a Televisão Digital Terrestre, antecipa a fabricante. A Toshiba acredita que o LED continuará a dominar o mercado e diz que a tecnologia representará este ano cerca de 70 por cento das vendas.



Para 2011 as previsões do observatório no que se refere ao mercado de portáteis voltam a apontar para uma diminuição do número de unidades vendidas, na ordem dos 10 por cento, isto embora os mercados tradicionais devam manter uma tendência de crescimento, entre 2 e 7 por cento. Esta performance será possível graças à recuperação das vendas associadas ao mercado empresarial, a compensar alguma quebra no mercado de consumo.



Em 2011 o mercado da educação terá um peso de apenas 10 por cento nas vendas de portáteis, contra 50 por cento em 2009 e mais de 20 por cento em 2010.



Especificamente em relação aos tablet PCs, o Observatório da Toshiba antecipa vendas de 150 mil unidades até final de 2012. As vendas deste tipo de equipamentos em Portugal no ano passado foram ainda pouco expressivas, até porque os modelos disponíveis só chegaram às lojas nos últimos meses do ano. Para 2011 a previsão é de que sejam vendidas entre 70 a 100 mil unidades.



Toshiba continua a garantir quota de 20%



A Toshiba continuou a garantir uma quota de 20 por cento no mercado de portáteis mantendo, em Portugal, uma performance muito acima da média europeia, onde a posição da fabricante japonesa ronda os 8 por cento.



Nas televisões, uma área que a empresa só está a explorar de forma directa desde 2009, os resultados obtidos em 2010 também foram positivos, assegura a empresa, que diz ter fechado o ano na quarta posição de vendas.



Para 2011 mantém-se o objectivo definido com o lançamento do negócio, que passa por garantir uma quota de 5 por cento neste mercado das TVs.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.