A Microsoft planeia tornar obrigatório o programa de verificação de software que há alguns meses lançou de forma voluntária e que deu o nome de Windows Genuine Advantage. Este programa é activado quando o utilizador tentar fazer uma actualização de segurança ao Windows ou descarregar algum add-on ao software e verifica a autenticidade do software base.



Numa tentativa de reduzir os números da pirataria, a empresa de Bill Gates vai tornar obrigatória a submissão a este teste já a partir do dia 7 de Fevereiro para três países: China, Republica Checa e Noruega.



Nos três casos os utilizadores com versões ilegais do software Microsoft terão a possibilidade de adquirir uma versão autorizado a preços reduzidos que podem variar entre os 10 e os 150 dólares, conforme o país.



Durante este ano a medida será estendida ao resto do mundo - para updates de segurança e add-ons - numa tentativa de diminuir os prejuízos anuais imputados às empresas de software com a circulação de produtos ilegais.



De acordo com números citados pela própria Microsoft um terço do software em circulação no mundo é pirateado (36 por cento) com um custo anual para a indústria de 29 mil milhões de dólares.



O programa Windows Genuine Advantage teve início há alguns meses e a pergunta foi já feita a 8 milhões de utilizadores, sendo que cinco milhões acederam em fazer a verificação de forma voluntária. Estes utilizadores beneficiam de ofertas na compra de software e descontos em produtos e serviços Microsoft.



Notícias Relacionadas:

2004-10-28 - Programa anti-pirataria da Microsoft oferece software


2004-10-21 - Steve Balmer coloca pirataria no topo da lista de preocupações da Microsoft

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.