A Oracle detalhou hoje, num evento que decorreu em Madrid, a sua estratégia de grid computing, que pretende conseguir uma gestão mais efectiva da infra-estrutura de hardware das empresas e dos seus recursos humanos, garantindo uma maior eficácia e poupança de custos.O Oracle 10g foi lançado internacionalmente no início deste mês e integra-se na estratégia de longo prazo da empresa de transformar o software em serviço.



Deixando cair a letra i do nome dos seus produtos e introduzindo a letra g, de grid computing, a empresa está a fazer uma aposta que Charles Philips, vice-presidente da Oracle Corporation, afirma que vai estruturar a oferta da companhia para os próximos anos. As palavras chave são agora reduzir custos e simplificar, procurando ao mesmo tempo alargar o mercado a clientes que antes não estavam dentro do leque de utilizadores potenciais da tecnologia Oracle.



"O que estamos a dizer às empresas é que podem implementar o Oracle 10g sem ter de investir em infra-estrutura, usando o hardware que têm instalado e conseguindo logo à partida enormes ganhos em termos de gestão dos recursos", explicou Charles Philips ao TeK numa entrevista que será publicada no site este fim de semana. O ênfase no mercado de médias empresas permitirá à Oracle capitalizar os investimentos que tem vindo a fazer no desenvolvimento desta tecnologia, em que a empresa afirma estar a trabalhar há dez anos.



Chuck Rozwat, vice presidente executivo da área de tecnologia de bases de dados, detalhou ainda que os clientes que mantêm grandes sistemas podem implementar o Oracle 10g nessa infra-estrutura ou ir construindo clusters de servidores mais baratos e pouco a pouco abandonar os grandes sistemas que
são normalmente bastante caros em termos de manutenção.



O Oracle 10g será lançado apenas em Dezembro e só nessa altura é que serão divulgados os preços da solução. Charles Philips não quis estabelecer comparações de preços com os actuais produtos da Oracle, sublinhando que é uma nova tecnologia, mas preferiu afirmar que "os clientes vão ficar satisfeitos com o preço".



Apesar de afirmar que o processo de migração para uma nova tecnologia é sempre lento, Charles Philips afirmou ao TeK que serão disponibilizados serviços e apoio aos clientes que queiram evoluir do Oracle 8 ou mesmo 9 para o 10g.



Notícias Relacionadas:

2003-09-09 - Oracle aposta na computação em grelha com produtos 10g

2003-08-11 - Oracle aposta em bases de dados em grelha

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.