De acordo com dados da empresa de segurança informática ESET, 4,62% dos computadores que existem em Portugal estão infetados por alguma forma de malware. A título de comparação, a taxa portuguesa é quase duas vezes superior à dos EUA que situa-se nos 2,6%, sendo no entanto “residual” sabendo que em países como o Afeganistão onde quase um quarto dos PCs têm um software malicioso.

A análise da ESET feita durante o mês de maio revela ainda que o programa Win32/Adware.MultiPlug é o mais comum nas máquinas portuguesas. O software é instalado muitas vezes sem que o utilizador dê conta - “escondido” em instaladores de programas mais conhecidos - e a sua remoção também pode ser complicada.

Este adware funciona sob a forma de um plug-in para os principais browsers de Internet, fazendo uma leitura atenta do que o utilizador vai visitando na "grande rede". Depois através dos dados recolhidos consegue embutir anúncios específicos nas páginas que visita e redireciona o utilizador para sites de comércio eletrónico também previamente definidos.

“A informação recolhida inclui não apenas os endereços visitados como também palavras-chaves introduzidas em motores de busca”, salienta um comunicado da ESET.

O perigo do adware destacado pela empresa de segurança também é comprovado pelo facto de este se espalhar de forma rápida e massiva - apesar de ser o malware mais “popular” em Portugal, apenas surgiu em novembro de 2014.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.