A Internet e os seus gigantes - como a Google, a Mozilla, o Twitch e o Facebook - estão a abandonar o Flash Player, uma tecnologia que permite ver conteúdos nas páginas Web. Mas a verdade é que o sistema da Adobe ainda é bastante usado e cada falha que existe coloca em perigo milhões de utilizadores.

De acordo com a Computerworld, até ontem tinham sido corrigidos 316 problemas no Flash Player só em 2015 - uma torrente de problemas que coloca a média em seis por semana. E o valor foi revelado numa altura em que a Adobe lança mais um conjunto de atualizações.

Entre os bugs corrigidos desta vez existe mais uma vulnerabilidade grave que de acordo com a tecnológica estava a ser explorado de forma "limitada" e numa perspetiva "muito direcionada".

A própria Adobe já admitiu que vai encorajar os programadores e criadores de conteúdos a apostarem em novas formatos de produção de conteúdos em detrimento do Flash.

A publicação ComputerWorld diz ainda que se a média de falhas se mantiver como tem acontecido até aqui, então até ao dia de Ano Novo é possível que o Flash venha a ter três novos bugs.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.