Os tablets estão ainda longe de substituir diretamente o papel como meio de consumo para ler livros e notícias, “mas é óbvio que o modelo de “menos papel” é uma nova realidade”. As palavras são da analista da Gartner, Meike Escherich. As conclusões resultam de um novo estudo que a empresa divulgou esta semana, sobre as cinco utilizações mais comuns dos tablets.

Segundo o relatório, mais de 50 por cento dos utilizadores de tablets inquiridos indicaram preferir ler notícias, revistas e livros através do ecrã, em vez de o fazer nas versões em papel. Em média, um terço dos utilizadores usa o tablet para ler livros, comparado com os 13 por cento que utilizam notebooks e 7 por cento que o fazem a partir do telemóvel, refere a Gartner.

O estudo teve início no final de 2011 nos EUA, Grã Bretanha e Austrália e conclui que os utilizadores rapidamente começaram a usar os tablets para algumas das atividades diárias mais comuns. Entre as preferências dos utilizadores está a consulta de email (81 por cento), a leitura de notícias (69%) e a consulta da previsão meteorológica (63%), com 62% dos utilizadores a usar ainda os tablets para aceder às redes sociais e 60 por cento a fazê-lo para jogar.

Convivência entre equipamentos
“A convergência em curso entre diferentes dispositivos de consumo já existentes parece estar a mudar o mercado, passando de um foco no hardware para o foco na utilização” explica Escherich, justificando este cenário com os múltiplos equipamentos que os utilizadores guardam em casa.

As conclusões da Gartner indicam que a maioria dos participantes no estudo afirmaram ter também PCs, televisores e telemóveis, mas não substituem um dispositivo por outro: Em vez disso, usam o mais conveniente para uma tarefa ou altura específicas, ou o que “está mais à mão”.

Apesar da diversidade de equipamentos que os utilizadores possuem em casa, a Gartner conclui que os tablets são o dispositivo dominante numa habitação, face aos telemóveis e aos PCs. Os tablets são mais usados à tarde e noite durante os dias de semana, preferencialmente em zonas como a sala (87%), o quarto (65%) e a cozinha (47 por cento).

Por fim, o estudo revela ainda alguns comportamentos curiosos por parte dos utilizadores: a principal razão para a compra de um tablet é o seu formato compacto e o peso; quase metade dos utilizadores não partilham o seu tablet, por o considerarem um objeto quase tão pessoal como o telemóvel; e a tendência é a dos homens adquirirem os seus próprios tablets, enquanto as mulheres os recebem como oferta.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.