Pôr crianças com idades compreendidas entre os três e os seis anos em contacto com a tecnologia influencia positivamente a aprendizagem, segundo revela um estudo encomendado pela IBM para analisar o impacto do seu programa KidSmart Early Learning num conjunto de seis países, onde se inclui Portugal, além da Alemanha, Espanha, França, Itália e Reino Unido.




O resultado da análise, que contou com a participação de investigadores da Universidade de Cambridge e do Instituto de Educação da Universidade de Londres, indica que o KidSmart levou a melhorias substanciais no ensino e na aprendizagem ao fim de um ano de utilização das Tecnologias de Informação e de Comunicação (TIC), tendo alunos e professores obtido consideráveis benefícios do programa, assegura a IBM em comunicado.




Utilizando a escala de avaliação internacional ECERS-TIC, que classifica de 1 a 7 - de, respectivamente, "qualidade inadequada" a "excelente qualidade" - na análise dos contextos, dos recursos e das interacções pedagógicas que ocorrem, o estudo mostrou que depois de apenas um ano todas as escolas abrangidas em Itália, Portugal e Reino Unido pelo KidSmart alcançaram a classificação 5 - "bom". Portugal atingiu mesmo o "muito bom" e França chegou ao "bom" em dois dos três elementos medidos pela escala. Antes da implementação dos centros de aprendizagem KidSmart nenhuma das escolas atingia o "bom" na escala de TIC.




Ficou igualmente demonstrado que os professores envolvidos no programa KidSmart, e que participam nas acções de formação, estão mais confiantes na sua abordagem ao uso de computadores na sala de aula. Em Portugal, por exemplo, o número de professores que afirmaram que estavam "muito confortáveis com os computadores" cresceu de 18 por cento para 70 por cento, após apenas seis meses de participação no programa.




"Esta avaliação do programa KidSmart demonstra o grande valor da introdução da aprendizagem baseada em TIC na educação da primeira infância e recomenda o alargamento destes recursos a todo o sector da educação pré-escolar", refere Hans-Ulrich Maerki, presidente e director geral da IBM Europa, Médio Oriente e África (EMEA), no comunicado que chegou à imprensa.




Em Portugal prepara-se já a terceira fase de implementação deste programa, que representará a sua expansão às Direcções Regionais de Educação do Norte e Centro do país, com a instalação de mais 60 centros de aprendizagem, na continuação da parceria estabelecida este ano com o Ministério da Educação, que permitiu a instalação de 50 unidades KidSmart Early Learning em 50 estabelecimentos de ensino pré-escolar nas zonas do Algarve, Lisboa e Vale do Tejo.




O rápido alargamento do programa KidSmart em território nacional deve-se também ao grande sucesso alcançado durante a primeira fase de implementação desta iniciativa no país, de que fazem prova os resultados da avaliação interna realizada pelas organizações parceiras da IBM no lançamento deste programa em Portugal: a Universidade de Évora e a Associação dos Profissionais de Educação do Norte Alentejo (APENA), salienta a IBM.




Implementado pela primeira vez no ano lectivo 2002/2003, o KidSmart Early Learning abrangeu inicialmente 24 jardins de infância nos distritos de Évora e Portalegre e um total de 509 crianças e 38 educadores (que beneficiaram de formação ministrada pela APENA) (ver Notícias Relacionadas). Foram então doados 30 centros de aprendizagem.




Actualmente beneficiam do programa KidSmart em Portugal mais de 1.500 crianças e de 100 educadores, com um total de 80 centros de aprendizagem distribuídos por 74 jardins-de-infância em três Direcções Regionais de Educação.




Notícias Relacionadas:
2004-06-10 - IBM e Ministério da Educação assinam protocolo para extensão do programa KidSmart



2003-04-17 - IBM lança programa KidSmart em Portugal com Universidade de Évora e APENA

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.