Limitando as especulações que tinham surgido sobre a hipótese de mais uma empresa que produz uma distribuição de Linux assinar o acordo de não violação de patentes com a Microsoft, Mark Shuttleworth, fundador do Ubuntu e CEO da Canonical, garantiu que não vai desenvolver negociações nesse sentido.

Num posto no seu site Mark Shuttleworth afirma que se recusou a discutir com a Microsoft sob a ameaça de quaisquer penalizações por violação de patentes não especificadas. Embora em afastar a possibilidade de trabalhar com a Microsoft em matérias que possam fortalecer a causa do software livre, no caso da emprea adoptar uma posição construtiva com a comunidade, Mark Shuttleworth afirma que a actual agenda de acordos não é positiva para o movimento.

"Não é útil caracterizar nenhuma companhia como "intrinsecamente má para sempre". Mas não acredito que o objectivo da actual ronda de acordos seja positiva para o software livre e de facto penso que não está particularmente nos interesses da Microsoft manter esta agenda. Com o tempo talvez também eles venham a perceber isso mesmo", escreve Mark Shuttleworth.

O desmentido surge na sequência do recente acordo da Microsoft com a Linspire, a empresa que desenvolve uma distribuição de Linux com o mesmo nome, que se seguiu ao acordo da empresa de Bill Gates com a Xandros e a Novell.

Notícias Relacionadas:

2007-06-15 - Comunidade Linux acusa Microsoft de utilizar estratégia intimidadora

2007-06-14 - Microsoft reforça acordos no mundo Linux através de parceria com a Linspire

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.