Segundo uma notícia veiculada recentemente pela agência Reuters que citava fontes anónimas, a United Pan-Europe Communications (UPC), operadora de cabo sediada na Holanda, pretende deixar de utilizar o software da Microsoft nas set-top boxes do seu serviço de televisão interactiva.



Em Agosto do ano passado, a Microsoft, que é também accionista - detendo seis por cento das suas acções - da UPC, divulgou que o desenvolvimento da sua plataforma de televisão interactiva estava a sofrer atrasos, o que colocou em causa o lançamento comercial em Outubro das set-top boxes necessárias para o inicío de um dos serviços de TV interactiva da operadora holandesa, tal como esta o tinha previsto.



A UPC afirmou no mês seguinte que tinha seleccionado o software da Liberate, uma concorrente da Microsoft no sector das plataformas de set-top boxes, para iniciar os testes de Televisão Digital Interactiva na Áustria, abandonando os planos que mantinha de instalar a plataforma Microsoft TV.



De acordo com a agência de informação, só há poucos meses atrás, a empresa de Bill Gates disponibilizou à operadora holandesa a versão final do seu software, mas agora, o mais provável, segundo a Reuters, é que a UPC utilize a plataforma da Liberate.



Esta empresa não quis comentar este rumor, mas um porta-voz afirmou à agência que a companhia tinha concluido recentemente testes. Acrescentou que estavam a ser vendidas aos clientes da UPC em vários países europeus set-top boxes com o seu software instalado.



A UPC, que também não quis comentar à Reuters, afirmou no mês passado aos seus investidores, depois da apresentação dos resultados financeiros relativos ao terceiro trimestre do ano, que já não espera ser capaz de comercializar 250 mil set-top boxes digitais até ao final do ano.



Bert Holtkamp, director da divisão de comunicações empresariais da UPC, voltou a afirmar ao TeK por telefone que não confirmava nem desmentia esse rumor, explicando que, tendo em conta a relação comercial entre as duas empresas - entre comprador e fornecedor - este assunto deveria ser resolvido internamente entre ambas as partes.



Já Rodolfo Oliveira, director de comunicação da Microsoft em Portugal, apenas afirmou que a companhia está a trabalhar com a UPC, tendo realizado recentemente testes de software nas set-top boxes utilizadas pela operadora holandesa que foram bem sucedidos. Mas segundo fontes próximas das empresas citadas pela agência, a qualidade do software não constitui problema, apesar dos atrasos técnicos iniciais.



A operadora de cabo, que tem cerca de sete milhões de assinantes em 12 países europeus, está em vias de sofrer uma reestruturação financeira, uma tentativa que visa diminuir os cerca de 8 biliões de euros ou 1,6 mil milhões de contos de dívidas que tem actualmente por pagar.



A Reuters refere ainda que é provável que o milionário do sector do cabo John Malone, através da Liberty Media, assuma o controle e crie um gigante europeu do cabo, na opinião de alguns analistas e executivos do sector.



Recentemente, a Microsoft sofreu mais um revés na área da televisão interactiva, quando Abílio Ançã Henriques, presidente da PT Multimédia (PTM) afirmou que o serviço de televisão interactiva da TV Cabo - empresa parceira da gigante de software em Portugal e subsidiária da PTM - só tinha 2500 clientes, cinco meses após o seu lançamento em Junho. A previsão inicial da operadora era de obter 100 mil clientes até ao final do ano.


Notícias Relacionadas:

2001-11-22 - Serviço interactivo da TV Cabo "descola" a partir de Janeiro

2000-10-30 - Philips e Liberate assinam acordo para set-top boxes

2000-09-21 - AT&T escolhe software da Liberate

2000-09-11 - UPC avança com software da Liberate

2000-08-18 - Atraso da Microsoft TV não afecta TV Cabo

2000-08-12 - Atrasos da Microsoft condicionam lançamento da TV Digital na Europa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.