Com a nova versão do Windows deixa de ser possível copiar ou emprestar o CD contendo o programa para instalá-lo numa segunda máquina, graças a um novo mecanismo anti-cópia criado pela Microsoft designado de activação do produto. Esta tecnologia consiste numa tentativa para a companhia de reduzir a prática da cópia casual de software entre familiares e amigos, que é considerada a maior forma de pirataria informática.



Este sistema obriga a que o utilizador efectue a activação da cópia do Windows XP que tem no seu computador num prazo de 30 dias após a instalação, de modo a que o sistema operativo continue a funcionar após esse período. No caso de possuir outro computador e esteja a pensar em actualizar para o Windows XP, terá que comprar uma cópia nova. Isto porque qualquer instalação num segundo PC bloqueia na caixa de diálogo que pede a realização da activação.



Este mecanismo foi introduzido pela Microsoft com o Office 2000 - neste caso, apenas em sete países - e, posteriormente, a nível mundial, com o Office XP e consiste numa tentativa directa de impedir a pirataria de software. O acordo de licenciamento da Microsoft para o utilizador final integrou desde o lançamento do seu sistema operativo Windows que o cliente é apenas autorizado a instalar a cópia do Windows que adquiriu em apenas uma única máquina.



Mas o utilizador não terá que fazer nada se adquirir um computador novo instalado com o Windows XP, uma vez que grande parte dos fabricantes de PCs já terão activado o software na fábrica. Por seu lado, os clientes empresariais que adquirem quantidades em volume de pacotes do Windows XP não estão sujeitos à activação. A chave que é cedida pela Microsoft para cada contrato de licenciamento em volume serve para todas as máquinas da organização que foram actualizadas para o Windows XP.



Segundo a Microsoft, apesar da activação ser obrigatória, não exige a cedência de quaisquer dados pessoais sobre o consumidor, sendo por isso, um processo anónimo.
Este processo pode ser realizado via Internet ou por telefone. Na opção da Internet, a operação demora cerca de 30 segundos. A Microsoft estima, por outro lado, que o processo por telefone demore cerca de quatro minutos e exige a leitura de um número de 50 digitos a um operador da companhia. Com base nesse código, é dado ao cliente um número de 42 digitos para introduzir numa caixa de diálogo do software.



A activação envia dois pedaços de informação para a Microsoft: um número de identificação do produto para o Windows XP e um código hash de hardware, ou seja, um número único criado através da codificação de informação relativa a dez componentes de hardware daquele computador mediante uma fórmula matemática. No caso de ser necessário reconfigurar mais de cinco dos componentes internos do PC ou de o disco rígido deixar de funcionar, o Windows XP irá paralizar, sendo necessário reactivar a cópia do sistema operativo para obter um novo número de activação.


Notícias Relacionadas:

2001-10-25 - Entrevista: "O Windows XP é tão importante como foi na altura o Windows 95"

2001-08-24 - Windows XP está pronto e já tem preço

2001-03-21 - Office XP estreia sistema de activação de produto

2001-02-05 - Microsoft alarga tecnologia anti-pirataria a todo o mundo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.