É uma das componentes do programa português de digitalização de livros e documentos e está a cargo da Biblioteca Nacional. Desde 2002, a Biblioteca Nacional Digital tem vindo a criar uma oferta online de títulos à guarda da BN que já totaliza 9.563 obras, a que correspondem 383.510 imagens.



A conservação tem sido uma das grandes missões do projecto, mas também a possibilidade de aumentar o raio de divulgação das obras, atravessando fronteiras, como atesta o facto de no ano passado mais de 2 terços dos 400 mil acessos à plataforma terem chegado do estrangeiro, com grande destaque para Estados Unidos e Brasil.



Atendendo à necessidade de conservação de documentos de natureza frágil ou manuseamento difícil foram seleccionados para digitalização desde o início do projecto um vasto conjunto de documentos iconográficos (cartazes, estampas, desenhos, etc) e de material cartográfico, "que representa respectivamente 61 % e 19% dos documentos digitalizados disponíveis na Biblioteca Nacional Digital", explica ao TeK Helena Patrício, directora de serviço da área de Sistemas de Informação da BN.



Na vertente mais orientada para a valorização e divulgação do património documental nacional, a selecção de documentos tem sido feita com base no interesse histórico-cultural das obras nomeadamente "proveniência nacional das obras, a respectiva data de publicação e a tipologia de documentos", acrescenta a mesma responsável.



Um dos projectos mais recentes nesta área aproveita uma oportunidade de financiamento do POS Conhecimento para fazer a digitalização de jornais portugueses do século XIX e de dicionários e enciclopédias publicados em Portugal nos séculos XVII a XIX. Em 2008 ambos os projectos têm continuidade. Na área dos dicionários e enciclopédias está prevista a digitalização de 37 novas obras, num total de 33 mil novas páginas. No que se refere à digitalização dos jornais portugueses do século XIX as metas para 2008 apontam para 25 títulos que comportam 300 mil páginas e imagens.



Outro projecto em marcha, tirando partido de financiamento do Programa Operacional da Cultura, é o Patrimonia, que já corresponde a 19 por cento da colecção disponível na BND, através dos 400 títulos de livro antigo português, publicados entre 1500 e 1800, entretanto digitalizados. Em 2008 a iniciativa prevê a digitalização de 260 mil novas páginas e imagens.



O Programa Operacional da Cultura e o Programa Sociedade do Conhecimento têm sido os principais instrumentos financeiros de recurso da BND quando estão em causa projectos de maior dimensão, que obrigam ao recrutamento em outsourcing de reforços que assegurem a concretização. Nestes grandes projectos, quando o financiamento chega do POC, 75% das despesas são cobertas pelo FEDER, um pouco acima da comparticipação possível com o recurso ao PSC (50 por cento).



Um pouco por toda a Europa estão em marcha projectos de digitalização de livros e documentos que são parte integrante da história de cada país, iniciativas que ganharam novo impulso com o surgimento da ideia de criação de uma biblioteca europeia online, proposta do ex-presidente francês Jacques Chirac. A prazo o objectivo é aproximar todas as plataformas, criando uma oferta cultural europeia mais harmonizada, trabalho que está ainda em fase embrionária.



Em Portugal a Biblioteca Nacional tem a seu cargo uma das duas frentes de digitalização. A outra está a cargo da Torre do Tombo, depositária dos arquivos nacionais.



Cristina A. Ferreira



Notícias Relacionadas:

2008-01-17 - Espanha cria biblioteca digital com 200 mil obras

2007-11-28 - Comissão Europeia em sintonia para desenvolvimento da Biblioteca Digital

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.