Em carta aberta ao Grupo Parlamentar do PS, a Associação do Comércio Audiovisual de Obras Culturais e de Entretenimento de Portugal (ACAPOR) afirma que "independentemente da questão penal do comportamento e da inerente incitação à prática de crime à
comunidade, a falta de sensibilidade para a problemática por si manifestada e o desprezo pelo drama das famílias que perderam o seu sustento às mãos da pirataria, deveriam levar o Sr. Deputado a apresentar a renúncia ao seu mandato, nos temos do artigo 7.º do Estatuto dos Deputados em face da grosseira violação do artigo 14.º n.º 1 al. e) do mesmo diploma legal".

A associação realça que no seu entendimento "só deste modo poderá o Sr. Deputado ver retratada a sua imagem e dignificar o cargo de deputado que tanto
respeito merece numa sociedade democrática que pretendemos preservar."

Já ontem a FEVIP tinha protestado pelo incidente, mas sem pedir quaisquer consequências nem confirmar se iria avançar com algum procedimento judicial.

A publicação do post no Twitter de João Galamba data de 27 de outubro, dia do jogo entre os dois clubes para o campeonato nacional que foi transmitido apenas na Sport TV, um canal pago.

[caption]tweet de João Galamba[/caption]

"A revelação pública, não
hesitante e despudorada de que o Sr. Deputado procura ver por canais ilegítimos uma transmissão
desportiva com exclusividade de visionamento por subscrição paga é prova que, provavelmente,
andamos a perder o nosso tempo na Assembleia da República", afirma a ACAPOR em comunicado.

A associação lembra que a pirataria é a principal causa da perda de 4 Milhões de espectadores nas salas de cinema em menos de 3
anos – 1,1 Milhões só nos últimos 10 meses – e ainda "é responsável por não existir actualmente exibição regular de cinema dos Distritos de Évora, Beja, Portalegre e Castelo Branco". Segundo dados da associação, a pirataria está na origem da
perda de 25 milhões de vendas de DVDs/Blu-Rays em apenas 4 anos.

Já ontem a FEVIP defendeu que o comentário/solicitação de João Galamba "a concretizar-se, levaria necessariamente a uma utilização ilegal, suscetível de sanção criminal, de conteúdos audiovisuais de terceiros", lembrando que estas empresas "investem recursos financeiros e humanos numa atividade geradora de emprego e receita fiscal".

A Associação Portuguesa de Defesa de Obras Audiovisuais (Fevip) afirmou que "o cargo de Deputado da República Portuguesa que o mesmo ocupa deveria compaginar-se com um alto sentido de responsabilidade social e exemplo cívico", escreve em comunicado.

O TeK contactou o Deputado João Galamba para obter uma reação, por telefone e email, mas não obteve qualquer resposta apesar da mensagem de correio eletrónico ter sido recebida e lida. O pedido foi já hoje reforçado depois deste novo comunicado.

Os temas relacionados com o desporto são frequentes no perfil do Twitter do Deputado que tem quase 28 mil tweets publicados e 12.576 seguidores, sendo considerado um dos portugueses mais influentes no Twitter.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.