Estreou há cerca de uma semana no Reino Unido o Google Street View, uma funcionalidade do Google Maps que pormenoriza o nível de definição das imagens oferecidas pelo serviço à vista de rua. As condições de funcionamento do serviço foram negociadas com os organismos competentes, mas isso não chegou para evitar que poucos dias após a estreia a Privacy Internacional tivesse reunido várias queixas e apresentado uma reclamação formal ao Governo, pedindo que a funcionalidade seja desligada temporariamente.

As queixas da organização não governamental para os direitos de privacidade, sedeada em Londres, têm sobretudo a ver com o facto de informação que supostamente deveria surgir no serviço de forma descaracterizada ser perfeitamente visível. Nomeadamente, matrículas de automóveis e rostos de pessoas que circulam nas ruas. No total a organização tem para apresentar 200 relatórios com queixas.

Segundo uma declaração do departamento britânico responsável pelas questões da privacidade, nas negociações que antecederam o lançamento do serviço, a Google assegurou que os dados identificativos dos veículos, assim como os rostos capturados pelas imagens das câmaras que circulam na cidade para fornecer a informação disponibilizada seriam suficientemente descaracterizados. Da mesma forma, a empresa comprometeu-se a retirar imagens do serviço na sequência de queixas recebidas através de pessoas que se considerassem lesadas pela identificação possível nas imagens.

O governo britânico já confirmou a recepção da queixa mas não avançou detalhes relativamente às medidas que pretende levar a cabo para lhe dar sequência, explica a notícia da BBC que avança a informação.

Os apanhados pelo Street View

Entre os "apanhados" pelo Street View que se sentiram lesados e decidiram pedir ajuda à organização internacional de protecção dos direitos de privacidade existem casos mais sérios e outros mais caricatos. A organização registou o caso de uma mulher que mudou de morada para fugir a um companheiro violento e quando usou o serviço deparou-se com a sua imagem, identificável, à frente da casa nova. Há também o caso de dois colegas de trabalho a prestar serviço numa determinada zona que ficaram registados nas câmaras do Street View aparentemente a beijarem-se. Na verdade não estavam. Era afinal uma questão de ângulo. Há ainda o caso de um rapaz de 15 anos cujos pais tinham proibido de andar de skate e que foi apanhado nas imagens a desrespeitar a ordem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.