Um dos principais sites de classificados dos Estados Unidos foi acusado de ser "a maior fonte de prostituição" do país por Thomas Dart, chefe da polícia do Condado de Cook, no Illinois.

O responsável frisou durante uma conferência de imprensa em Chicago que o popular site norte-americano albergava, no ano passado, mais de 2800 anúncios de prostituição de menores.

"As crianças ou as pessoas que tenham fugido de casa, as mulheres vítimas de abusos sexuais ou os estrangeiros vítimas de tráfico de seres humanos são regularmente forçados a ter relações sexuais com desconhecidos", frisou o xerife de Cook County referindo que estas são "as principais vitimas da rede de proxenetismo do Craigslist".

Com base nas investigações, foi interposta uma queixa contra o site de classificados na qual é pedida a proibição de qualquer tipo de anúncio "referente a serviços eróticos".

Os responsáveis pelo Craigslist referem que não foram notificados mas que o "uso indevido" da plataforma "para facilitar a realização de uma actividade criminal é inaceitável" pelo que continuará a unir todos os esforços para evitar "tais incidentes".

A denúncia surge quatro meses após a plataforma ter sido alvo de uma denúncia semelhante. Na altura, os responsáveis comprometeram-se a implementar medidas de protecção contra aquele tipo de conteúdos.

Thomas Dart refere que até aqui não foram colocadas quaisquer barreiras a anúncios de prostituição e que, até aqui, já foram feitas mais de 200 detenções relacionadas com os serviços publicados no site.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.