O estudo Connected Kids, elaborado pela empresa de segurança Kaspersky Lab e pela iconKids & Youth, revela que cerca de 31% das crianças de todo o mundo estão dispostas a mentir sobre a sua idade quando utilizam redes sociais online. Mais: uma em cada dez altera a informação referente à idade em função do site que está a visitar, ao passo que 17% desse conjunto finge ser mais velho do que realmente é.

A pesquisa visa os menores com idades compreendidas entre os oito e os 16 anos e indica outro facto que justifica a preocupação da maioria dos pais e encarregados de educação no que toca a utilização da internet: cerca de 35% das crianças afirmam que não estão dispostas a viver sem poderem recorrer à utilização de redes sociais.

O documento refere que “as crianças não só estão viciadas em comunicar através das redes sociais, como também têm comportamentos muito perigosos nas mesmas, colocando-os a eles próprios e ao resto da família em perigo”. Cerca de 66% dos visados confessa a partilha do nome da escola que frequentam, enquanto 54% revelam os locais que mais visitam no seu dia a dia. Por outro lado, 22% expõe claramente a sua morada de residência nos seus perfis de redes sociais.

“Por vezes as crianças não veem perigos nas conversas que mantêm online – estão disponíveis, não têm medo e são muito comunicativas. E é precisamente por isto que os pais têm de alertar sobre os perigos desta exposição. Soluções de segurança como o Kaspersky Safe Kids podem ajudar a monitorizar constantemente as mudanças nas listas de amigos e nas publicações efetuadas pelas crianças, para que seja possível elevar os índices de segurança”, garante Alfonso Ramírez, diretor geral da Kaspersky Lab Iberia.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.