Apesar do elevado valor, o popular mapeamento panorâmico da gigante da Internet está ainda bastante longe dos objetivos de cobertura propostos no arranque da funcionalidade.

Segundo declarações de Luc Vicent, responsável pelo serviço, à New York Times Magazine, a distância somada até agora pelos carros, esquis, mochilas e outros veículos especiais do Street View é apenas um décimo dos 96 milhões de quilómetros que podem ser percorridos.

Há algumas regiões do mundo que ainda não estão devidamente contempladas no serviço lançado em 2004. "África e grande parte da Ásia ainda são grandes buracos atualmente", lembrou Luc Vincent.

Só nos Estados Unidos, o Street View é essencial para 3,5 milhões de sites, que o usam como ferramenta integrada nos seus serviços. Há mesmo entre as empresas de maior dimensão, com maiores exigências de utilização, quem inclusive pague para usar a funcionalidade.

Segundo Luc Vincent, quando foi lançado, integrado no Google Maps, o Street View era mais "uma ideia de ficção-científica, mas agora é o seu pilar", somando mil milhões de utilizadores regulares.

O número tenderá a crescer à medida que a visão a 360 graus das câmaras do serviço registam cada vez mais locais de todo o mundo, mesmo os mais improváveis, e à medida que a equipa da Google vai apurando técnicas e veículos - que até já se podem conduzir a si próprios.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.