O acesso aos dados dos cartões bancários foi possível graças à interceção dos circuitos de pagamento, explica a PJ numa nota de imprensa.
Os detidos têm 21 e 27 anos e estão indiciados pela prática dos crimes de falsidade informática, burla informática e associação criminosa.
Já esta quarta-feira a PJ tinha anunciado a detenção de outros três suspeitos de crimes nas mesmas áreas, depois de ter desmantelado uma organização criminosa internacional dedicada à prática de crimes de burla informática, acesso ilegítimo e branqueamento de capitais. Os crimes praticados pela rede podem ter permitido a transferência e levantamento ilegal de milhares de euros. Até à data a PJ detetou prejuízos de 40 mil euros.
Os suspeitos manipulavam dados de transferências bancárias, acediam ilegitimamente às contas de correio eletrónico de quem ordenava as operações, para além de fazerem depois o branqueamento dos valores obtidos através do esquema.
Os detidos têm 39, 36 e 25 anos e estão indiciados pela prática dos crimes de crimes de burla informática, acesso ilegítimo e branqueamento de capitais. Já estão em prisão preventiva.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.