Seis dos principais estúdios de Hollywood anunciaram que vão criar um laboratório de investigação para explorar novas formas de proteger os seus conteúdos. O consórcio dará origem ao Motion Picture Laboratories ou MovieLabs, uma estrutura independente e sem fins lucrativos que arranca com um investimento de 30 milhões de dólares para suportar os dois primeiros anos de actividade.




Segundo os promotores, a iniciativa avança ainda este ano centrada na prevenção da pirataria, missão que poderá ser alargada mais tarde, detalha Dan Glickman, presidente da Associação Americana da Indústria Cinematográfica.




"Não vamos aqui pesquisar como fazer certos tipos de filmes. Não é sobre isso que estamos a falar. A nossa grande prioridade é proteger a integridade dos nossos produtos", refere o responsável citado pela CNet.




Nesta prioridade integram-se formas de impedir o uso de câmaras de filmar ou outros dispositivos de recolha de imagem nas salas de cinema; o desenvolvimento de tecnologias de gestão de rede que permitam detectar partilha ilegal de ficheiros em redes empresariais; ou desenvolvimento de ferramentas capazes de identificar troca ilegal de ficheiros em redes peer-to-peer.




De acordo com informações fornecidas pelo grupo, em conferência de imprensa, está igualmente previsto o desenvolvimento de mecanismos de supervisão da troca de conteúdos cinematográficos entre países, realizada via Internet, por forma a assegurar o cumprimento de todas as licenças.



Notícias Relacionadas:

2004-12-15 - Hollywood processa serviços P2P nos EUA e Europa

2004-11-17 - Estúdios americanos preparam mais de 200 processos contra comércio ilegal de filmes


2004-08-24 - MPAA aponta munições para fabricantes de chips de DVDs

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.