Os ataques realizados até agora interromperam o funcionamento dos sites dos bancos e a realização de algumas operações bancárias. Depois dos primeiros estragos o grupo apresentou-se e disse ao que vinha: quer um resgate ou promete comprometer todas as operações eletrónicas os bancos.

Os três bancos visados pelas ameaças terão sido atacados por três vezes nos últimos cinco dias, sendo que o primeiro ataque aconteceu a 26 de novembro. Receberam a ameaça não cederam ao pedido e os ataques continuaram, mas as autoridades gregas garantem que aumentaram a segurança e que os tentativas dos hackers não têm sido bem-sucedidas e como tal o funcionamento dos sites não voltaram a ser afetados.

O grupo, que se identifica como Armada Collective pede 20 mil bitcoins, cerca de sete milhões de euros, garante o Financial Times que acrescenta a informação sobre o valor pedido, à informação disponibilizada esta segunda-feira pelo banco central grego.

 

   

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.