Segundo um relatório publicado pela empresa de estudos de mercado britânica Mori, mais de metade dos cibernautas admitem perder a calma pelo menos uma vez por semana. As razões mais apontadas são o tempo que demora até um site aparecer no monitor, os botões de ajuda que pouco fazem e os insistentes pedidos de informações pessoais que aparecem como condição para o utilizador poder aceder a um site.



Mas, a violência dos utilizadores da Internet não está apenas direccionada para o seu ecrã. Rato e teclados são igualmente vítimas dos ataques de fúria dos cibernautas com cerca de 7 por cento a admitir que já direccionaram a sua cólera para estes equipamentos. Cerca de 2 por cento, uma pequena mas dolorosa percentagem, admite já ter agredido colegas de trabalho para acalmar.



Na opinião de Carole Spiers, consultora de gestão ocupacional do stress, os cibernautas devem sentir que estão em controlo e quando essa sensação começa a desaparecer surgem outras mais negativas. No entanto, não devemos pensar que a tecnologia deve fazer tudo por nós, conclui. Seja como for 52 por cento afirmam desligar o computador quando se irritam, 26 por cento optam por boicotar os sites que mais os enervam, 11 revelam perder a paciência quase diariamente, mas apesar de tudo 83 por cento garante que volta sempre aos sites de que mais gosta.



Este estudo, que foi encomendado pela Abbey National para comemorar o relançamento do seu portal, levou também ao lançamento de um site de relaxamento com uma selecção de música e imagens, supostamente, mais calmas.



Notícias Relacionadas:

2001-05-15 - Trabalhadores japoneses do sector tecnológico afectados por stress

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.