O organismo italiano encarregado de gerir as questões relacionadas com a protecção de dados e privacidade apresentou as suas condições para a recolha de imagens para o Street View no país. As medidas impostas focam-se essencialmente na importância de dar a conhecer aos cidadãos que os carros da Google circulam nas imediações, para que estes possam salvaguardar a sua privacidade, caso assim o entendam.

De acordo com a informação divulgada hoje pela imprensa internacional, as autoridades italianas exigem à Google que avise antecipadamente os residentes de uma cidade de que os seus carros vão passar a recolher fotografias para o serviço de vistas de rua. No caso de grandes cidades, deverá ser também anunciada a data de captura de imagens nas diferentes zonas.

Segundo o El País, o aviso deve ser feito com três dias de antecedência e vários meios mencionam a necessidade da divulgação da passagem dos carros pelo menos em três jornais locais e numa rádio.

A gigante das pesquisas precisa ainda de garantir que os veículos se encontram devidamente identificados, através avisos colocados em local bem visível, para que as pessoas percebam que estão na presença dos carros do serviço.

Se a Google não cumprir as regras estabelecidas arrisca-se à aplicação de uma multa que pode ir até 100 mil euros.

A necessidade destas medidas prende-se com um sentimento de "desconfiança" e "hostilidade"generalizado com relação ao serviço por parte da população, alegou um porta-voz do organismo.

No mesmo dia foi também anunciado que a entidade responsável pela tutela da privacidade no Reino Unido voltará a averiguar quais os dados de redes Wi-Fi captados pela Google no país, em sequência de alegados erros no sistema dos carros que levaram à recolha indevida de dados das redes sem fios.

O organismo já tinha investigado o caso chegando à conclusão que não tinha sido recolhidos dados pessoais relevantes, mas depois de a Google ter admitido, a semana passada, que "em alguns casos" haviam sido guardados endereços de email completos, URLs e palavras passe, decidiu reabrir a investigação.

A semana passada foi a vez dos alemães mostrarem a sua posição face ao serviço, com 224 mil residentes a pedirem que as suas casas não fossem incluídas. A Alemanha, onde o serviço tem estreia marcada para Novembro, é o único país onde as pessoas puderam decidir se queriam ou não que as suas casas fossem incluídas no serviço de vistas de rua dos mapas da Google.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.