Lisboa, Porto e Braga são as cidades que se seguem no Google Street View. Portugal surge assim como o nono país "registado" fotograficamente pelo serviço da gigante da Internet a nível mundial, e o quinto em termos europeus.

As máquinas fotografias irão começar por recolher as imagens panorâmicas das ruas de Lisboa e Porto, e numa segunda fase, prevista para o início do Verão, chegarão então à cidade de Braga.

Detectáveis pelo autocolante da marca, mas principalmente pela espécie de "torre" que abriga as câmaras fotográficas, as caricatas carrinhas Google saem para a rua já esta quarta-feira, 15 de Abril. "Em princípio um dia deverá bastar para completar o circuito necessário pelas cidades", referiu Inês Gonçalves, responsável de marketing da Google Portugal.

O processo de tratamento das imagens e da informação vai prolongar-se durante várias semanas, não havendo ainda data concreta de lançamento do serviço, apesar da Google Portugal apontar o final do ano como provável."Embora acompanhado pelos nossos escritórios em Portugal, o processo tratamento da informação será feito a nível central", salientou Inês Gonçalves.

Privacidade em discussão

O Street View é um serviço integrado no Google Maps assente em imagens fixas panorâmicas com um pormenor ao nível da rua, que permite ao utilizador navegar visualmente por um determinado local.

O nível de pormenor das imagens, que registam o espaço físico num dado momento, com tudo o que nele existir, nomeadamente pessoas, já levantou algumas preocupações relativamente à privacidade.

Um caso recente é o do Reino Unido onde inclusivamente uma organização civil fez chegar uma queixa ao organismo britânico que trata a matéria da privacidade, não obtendo contudo resposta favorável.

"Não necessitamos de autorização para o que fazemos, porque o Google Street View é apenas uma colecção de imagens, tiradas em locais públicos, disponibilizadas com um intervalo de tempo alargado em relação ao momento em que são tiradas, ou seja, não são em tempo real", explica Inês Gonçalves.

A responsável acrescenta que embora legalmente não exista qualquer impedimento à iniciativa, a Google faz sempre questão de reunir com os organismos competentes de cada país para trocarem informação sobre as acções relativas ao Street View, facto que ficará assegurado em Portugal com o contacto da Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD).

Inês Gonçalves admite contudo que existem actualmente cuidados no tratamento das imagens que não aconteceram inicialmente. "Neste momento todos os rostos são desfocados, assim como as matrículas", e remata afirmando que, além de ser "praticamente impossível", não faria sentido fotografar uma cidade sem registar as pessoas que lhe dão vida.

Quem se sentir incomodado por alguma das imagens apresentadas a partir do Google Street View poderá sempre pedir a sua remoção, através de uma funcionalidade disponibilizada online, a par do serviço.

Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, França, Itália, Reino Unido e Espanha são os países onde o Street View já pode ser utilizado, e onde na generalidade se tem revelado popular, conduzindo a crescimentos de tráfego no Google Maps que, em alguns casos, ascenderam a 40 por cento.

Patrícia Calé

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.