A Microsoft queixou-se publicamente da atitude pouco correta da Google em bloquear os serviços Youtube e Google Maps dos utilizadores Windows Phone. Segundo a empresa de Redmond, a Google não permite o desenvolvimento de uma aplicação completa do Youtube, enquanto o acesso ao Maps através do Internet Explorer do WP 8 também é condicionado.

Além de não haver nenhuma aplicação do Google Maps para Windows Phone 8, todos os utilizadores que tentem aceder à versão através do IE são redirecionados para a página de pesquisas da Google. A gigante dos motores de busca admitiu que o bloqueio é feito de propósito, mas justifica a ação com a "falta de qualidade" que o browser assegura na utilização do Maps.

A empresa de Mountain View preferiu direcionar os utilizadores para a página de pesquisas onde pelo menos podem fazer uma procura baseada na localização em que se encontram. Esta não foi a primeira vez que a Google decidiu bloquear o serviço num browser por causa do mau desempenho apresentado: o Opera para iPad já sofreu em tempos a mesma decisão.

Entretanto, um porta-voz da Google comunicou ao The Next Web que a compatibilidade do Internet Explorer para Windows Phone com o Maps melhorou e nos próximos dias o redirecionamento vai deixar de acontecer.

Relativamente às queixas da Microsoft que acusam a Google de bloquear o desenvolvimento de uma aplicação do Youtube com todas as características que existem em iOS e Android, a gigante dos motores de busca reagiu em comunicado dizendo que "é fácil aos utilizadores verem vídeos no YouTube a partir dos seus telemóveis Windows, a partir da página de Internet preparada para telemóveis, criada com código HTML 5".

A Google garante ainda que tem trabalhado ao longo dos últimos anos com a Microsoft para "criar uma boa experiência no Youtube para os utilizadores de telemóveis Windows".

Tecnológicas norte-americanas em Guerra Fria

Mas os desentendimentos entre as duas empresas vão além das aplicações Youtube e Maps. Na semana passada a Microsoft vincou o desagrado com o acordo obtido pela Google com a FTC por causa do abuso de posição dominante no mercado das pesquisas e das patentes móveis.

Antes, já a Google tinha decidido descontinuar no Gmail e no Google Calendar o suporte ao Exchange ActiveSync (EAS). Esta decisão parece ter "chocado" alguns responsáveis da Microsoft que vieram a público mostrar surpresa pelo anúncio da empresa rival.

Todas as polémicas surgiram em catadupa depois de um responsável da Google ter tornado pública a intenção de a empresa não desenvolver aplicações para os ecossistemas Windows devido ao baixo número de utilizadores que atualmente apresenta. As prioridades continuam a ser o Android e os dispositivos com iOS.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.