O Ministério Público abriu processos-crime para apurar responsabilidades relativamente à autoria dos ataques que ao longo das últimas semanas têm sido dirigidos a vários sites do governo e às forças de segurança.


Os processos instaurados pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa surgem na sequência dos ataques aos sites da Polícia de Segurança Pública e do respetivo sindicato, vitima dos hackers desde o dia da grave geral na semana passada, como o TeK já teve oportunidade de escrever.

A informação foi confirmada à Lusa pelo próprio departamento, que enviou uma nota à agência dando conta da iniciativa. A investigação do caso está a cargo da Polícia Judiciária, que também já tinha confirmado a existência de investigações a propósito do assunto.

O ataque ao site da PSP foi "reivindicado" pelo grupo Lulzsec que também reclama a autoria de outros ataques. Nomeadamente ao site das Finanças, do PSD ou da RTP e mais recentemente - ontem - o site do Parlamento (que já tinha sido alvo de tentativas de ataque do grupo antes).



O grupo promete também para amanhã uma nova onda de ataques, como o TeK já detalhou aqui.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.