O risco em causa vai depender do tipo de informação que costuma permitir que o browser memorize para não estar sempre a escrever o mesmo, nomeadamente dados pessoais, e entre eles o número do cartão de crédito.

O alerta relativamente à opção “autofill” poder servir como porta de entrada para piratas informáticos foi feito por Viljami Kuosmanen. O programador finlandês descobriu que quando usada no Chrome, Safari ou Opera, a funcionalidade pode possibilitar o armazenamento da informação disponibilizada “por baixo do pano” por sites menos bem-intencionados.

Tal quer dizer que embora pareça que está a deixar o seu nome e endereço de email na (única) caixa que lhe é apresentada, os dados estão a ser recolhidos em off, sem que se aperceba, com outros propósitos.

E o que pode fazer para impedir que essa recolha duvidosa ocorra? De momento muito pouco. A única forma é mesmo desativar a opção.

Google Chrome, Safari e Opera são os browsers que atualmente oferecem a funcionalidade de preenchimento automático - o Microsoft Edge e o Firefox ficam de fora. 

Pode confirmar desde já está em risco através deste site criado por Viljami Kuosmanen para o efeito.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.