Uma conferência hoje realizada em Aveiro com o tema "Sociedade da Informação em Portugal - Das Cidades e Regiões Digitais ao Portugal Digital" foi pretexto para o lançamento oficial da iniciativa Cidades e Regiões Digitais, que dá seguimento ao projecto Cidades Digitais que decorreu entre 1998 e 2000.



Inserido no âmbito da iniciativa Portugal Digital, o concurso para este novo programa foi hoje alvo de um edital na imprensa para divulgação da natureza dos projectos, financiamento e apresentação de candidaturas. O concurso, aberto em permanência, pretende alargar a iniciativa cidades digitais a todo o país, referiu Pedro Veiga, gestor do POSI - Programa Operacional Sociedade da Informação no qual está inserido o conjunto de iniciativas denominado Portugal Digital.



"este concurso pretende aumentar também o financiamento às Cidades Digitais [com projectos já constituídos] e estimular a apresentação de extensões às iniciativas em curso", confirmou Pedro Veiga. Ao mesmo tempo, o objectivo é também estimular outras regiões do país, quer em termos de cidades ou associações de municípios de uma determinada zona, a aderir à iniciativa.



Como resultado deste trabalho foram já aprovados, excepcionalmente, três extensões aos projectos Cidades Digitais em Aveiro, Trás-os-Montes e Alto Douro (Serviço Cooperativo de Extensão) e o Programa com as minorias, agora denominado Comunidade em Movimento e que consiste num apoio à integração social de populações em risco de exclusão.



"Esperamos que com a abertura do concurso algumas zonas e cidades comecem a associar-se a outras áreas próximas para assim dinamizarmos regiões de maior dimensão", comentou Pedro Veiga em declarações ao TeK.
Este responsável adiantou ainda que existem já contactos com a Associação dos Municípios das Lezírias no sentido de virem a tornar-se uma região digital.


Até ao final do ano deverão ficar ainda formalizadas as aprovações das candidaturas das cidades de Gaia e Braga, que estão já em fase final de aprovação, segundo referência de Pedro Veiga.



O financiamento dos projectos aprovados é assegurado em 80 por cento pelo Programa Operacional Sociedade da Informação (POSI) e estes devem ter uma duração máxima de três anos. Os projectos devem reunir várias entidades, públicas ou privadas, e visar a prossecução dos objectivos definidos na Iniciativa Internet, a modernização dos serviços da administração local e de organismos desconcentrados da administração central, o apoio a sistemas de ensino e formação, a disponibilização de conteúdos de interesse público em formato digital, o alargamento da acessibilidade à sociedade da informação a todos os estratos sociais, desenvolvimento de capacidades em tele-medicina, a contribuição para a modernização do tecido económico e integração dos cidadãos com necessidades especiais.



O programa Cidades Digitais, que agora é substituído pelo Cidades e Regiões Digitais, decorreu entre 1998 e 2000 e foi financiado no âmbito do segundo quatro comunitário de Apoio para a área da Ciência, Tecnologia e Inovação. Neste período foram iniciados os projectos da Guarda, Bragança, Aveiro, Marinha Grande, Trás-os-Montes e Alto Douro e ainda o programa pelas minorias.



Notícias Relacionadas:

2001-02-07 - Portugal Digital: Conselho de Ministros debruça-se sobre SI

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.