A ideia surgiu pela mão de um engenheiro de informática e um engenheiro mecânico, mas desengane-se quem pensa que o MyKubo é apenas mais uma plataforma técnica que tira partido do interesse em redes sociais: o site está pensado para agradar aos visitantes mais "fashion" e todos os pormenores de marketing e promoção foram bem estudados.

O site está online desde setembro e conta já com 16 embaixadores - entre bloggers e outros influenciadores - que ajudam a promover o conceito e os looks de roupa, acessórios e maquilhagem que estão na moda.

Vasco Teixeira-Pinto, um dos fundadores do MyKubo, explica ao TeK que o objetivo é permitir que toda a cadeia ganhe com a venda online: a marca, o fornecedor de serviço e o cliente. A MyKubo fornece a plataforma, angaria as marcas para estarem presentes no site, capta o interesse dos utilizadores com os embaixadores e divulgação de informação em várias redes, e facilita o processo logístico de compra online, dando "a cara" pelo serviço completo.

[caption]mykubo[/caption]

Cada loja tem como peça central o Kubo, que permite aos utilizadores navegar entre seis montras personalizáveis segundo os seus interesses. Os vários produtos dentro das montras são também personalizáveis associando as fotografias do Instagram para substituir as disponibilizadas pelas marcas.

Cabe aos utilizadores divulgar, comprar e vender os produtos através das lojas que criam ou das lojas dos seus amigos, ganhando pontos que podem usar nas compras seguintes e tirando partido de uma rede de amizades que podem "influenciar", ganhando mais pontos através de um sistema de filiação.

E aqui os "embaixadores" têm também um papel relevante, ajudando a definir tendências e a captar novas audiências. Para já entre os nomes que aderiram ao serviço estão blogs como o Quiosque do Ken, o Blog da Carlota, mas também alguns estilistas e famosos como Maria Guedes, José Águaluza, Raquel Strada, Pedro Granger, Gonçalo Uva e Carolina Patrocínio.

O vídeo que reproduzimos abaixo mostra algumas das funcionalidades do MyKubo.

A plataforma está ainda a dar os primeiros passos e conta com pouco mais de um mês de atividade mas já tem mais de 3000 utilizadores dispostos a partilhar e comprar. Mesmo assim Vasco Teixeira-Pinto escusa-se ainda a partilhar números de vendas, até porque são ainda residuais e é preciso construir massa crítica.

"É preciso ganhar a confiança da rede", explica o CEO e fundador do MyKubo. Para já o feedback é positivo e as visualizações estão a crescer, e depois as compras vêm por arrasto, até porque as marcas escolhidas para estarem no site têm valor acrescentado online e muitas são de criadores emergentes, sem grande presença física em lojas.

[caption]mykubo[/caption]

O MyKubo está a começar por Portugal, onde quer fazer prova de conceito numa primeira fase, mas o objetivo é partir rapidamente para a internacionalização.

Espanha, pela proximidade, é naturalmente um dos primeiros mercados a abordar, mas a MyKubo quer avançar de forma sólida, até porque há todo um caminho a fazer para captar os líderes de opinião em cada país, e também as marcas mais relevantes, entre as marcas âncora mas também as emergentes.

Vasco Teixeira-Pinto explica que os primeiros investimentos foram centrados no desenvolvimento da plataforma, 100% portuguesa, e também no arranque do projeto no mercado, mas a empresa está a finalizar uma nova ronda de investimento que irá permitir chegar mais longe, internacionalizar o MyKubo e ganhar a massa crítica que o projeto precisa para chegar mais longe.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Nota da Redação: Foram corrigidas duas gralhas no texto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.