Uma falha fez com que o segundo site mais visitado da Internet, logo depois do motor de pesquisa da Google, estivesse em baixo durante quase duas horas na passada terça-feira.

E se para os seus utilizadores esta foi uma situação alarmante, como é exemplo Marques Brownlee, um popular produtor de vídeos da plataforma que referiu nunca ter visto “o YouTube em baixo por mais de 30 minutos”, para os rivais do serviço de streaming revelou-se uma oportunidade de ouro.

De acordo com o Google Trends, foram muitos os utilizadores que começaram a procurar pelo Vimeo e pelo Dailymotion assim que o YouTube ficou offline. A ferramenta da gigante tecnológica também revela que alguns dos termos mais procurados durante a interrupção incluem "YouTube is down", "YouTube down" e "YouTube error".

tek youtube
A linha azul no gráfico reflete as buscas por Dailymotion e a vermelho a procura pela plataforma Vimeo.

No entanto, não foram apenas estas plataformas que registaram um aumento de tráfego invulgar durante o período em que o YouTube esteve inacessível. O PornHub revelou dados que mostram um aumento de 21% no tráfego, o qual terá voltado ao normal assim que o Youtube foi restaurado.

O famoso site de vídeos pornográficos mostrou ainda uma lista das categorias de vídeos mais procurados, com termos como “asmr” a ter tido um aumento de 201%, “youtube” um aumento de 183% e “roleplay” um aumento de 177%.

A CEO do YouTube, Susan Wojcicki, usou o Twitter para anunciar que o “YouTube está de volta”, mas não forneceu detalhes adicionais para a interrupção.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.